José Reis Chaves

>     Espiriticamente, como se explicaria a tragédia de Santa Maria?

Artigos, teses e publicações

José Reis Chaves
>     Espiriticamente, como se explicaria a tragédia de Santa Maria?

 

 

Há pessoas dizendo que a tragédia de Santa Maria ocorreu porque as vítimas faziam culto ao diabo.

Em que as vítimas teriam prejudicado Deus, imutável que é, para que Ele se vingasse deles, seus pais, irmãos, amigos, colegas e todo o Brasil? Esse conceito antigo e mitológico de Deus dessas pessoas cria ateus, conceito esse que está longe do de Deus Amor e Pai ensinado por Jesus!

O pecado está para Deus como o crime está para a lei. O pecado é contra Deus, mas é o nosso próximo que sofre, e, por conseqüência, o autor do pecado. E o crime é contra a lei, mas é a vítima que sofre. Aliás, se Deus sofresse com o pecado, Ele seria o ser mais infeliz. Mas mesmo que Deus sofresse com o pecado, por ser Ele Amor (1 João 4: 8), jamais Ele se vingaria de alguém.

A lei de causa e efeito (carma, lei da reciprocidade, do retorno etc.) é inexorável. Ela está na Bíblia e em todas as outras escrituras sagradas e não é castigo de Deus, pois somos nós mesmos que a manipulamos com o nosso livre-arbítrio. E essa palavra castigo deriva-se do verbo latino “castigare” (purificar). Daí também o vocábulo castidade (pureza). Mas ninguém deixará de pagar tudo até o último centavo. (Mateus 5: 26). Porém colhido todo o seu mal semeado, o semeador fica purificado e não vai pagar mais nada, o que joga por terra, totalmente, as chamadas “penas eternas”. E há outra maneira de nós nos purificarmos: fazendo o bem. “Uma boa ação encobre multidão de pecados.” (1 Pedro 4:8). “Perdoados lhe são seus muitos pecados, porque ela muito amou.” (Lucas 7: 47). Vale a pena, pois, nós nos purificarmos com a prática do bem. E jamais há um determinismo inevitável de sofrimento, pois o nosso livre-arbítrio pode mudar as coisas. E “quem não for pelo amor, vai pela dor.” (Dito espírita). Daí também o vocábulo castidade (pureza). Mas ninguém deixará de pagar tudo até o último centavo. (Mateus 5: 26). Porém colhido todo o seu mal semeado, o semeador fica purificado e não vai pagar mais nada, o que joga por terra, totalmente, as chamadas “penas eternas”. E há outra maneira de nós nos purificarmos: fazendo o bem. “Uma boa ação encobre multidão de pecados.” (1 Pedro 4:8). “Perdoados lhe são seus muitos pecados, porque ela muito amou.” (Lucas 7: 47). Vale a pena, pois, nós nos purificarmos com a prática do bem. E jamais há um determinismo inevitável de sofrimento, pois o nosso livre-arbítrio pode mudar as coisas. E “quem não for pelo amor, vai pela dor.” (Dito espírita).

A lei de causa e efeito é uma disciplina que nos ajuda em nossa evolução moral, pois, com ela, vamos aprendendo que vale mesmo a pena praticarmos o Evangelho ou a Doutrina Espírita, cuja moral é a mesma do excelso Mestre. E a colheita não é só de dor, mas também de felicidade. Há também o chamado carma-crédito, isto é, aquele em que o indivíduo sofre sem culpa, o que se torna um crédito para ele em sua caminhada evolutiva. É possível, pois, que haja entre as vítimas de Santa Maria, as quais, antes de reencarnarem, possam ter escolhido aquela prova de carma-crédito, com o objetivo de acelerarem sua evolução, o que se pode aplicar também aos seus entes queridos sofredores. O sofrimento de Jesus é um exemplo disso que O glorificou diante de Deus. (Lucas 24: 26). E esse carma- crédito é até um dos motivos por que Jesus nos ensinou que não devemos julgar ninguém.

E não concluamos de tudo isso que Deus goste de nosso sofrimento, pois Ele não é sádico! “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.” (1 Coríntios 3:15). Apenas há a colheita do sofrimento na contabilidade da justiça divina cármica, o que nos purifica e nos faz lembrar-nos do Purgatório e da Doutrina da Satisfação da Teologia Católica. E purificado o espírito, ele se torna plenamente feliz!

 



Obs.: Esta coluna, de José Reis Chaves, às segundas-feiras, no diário de Belo Horizonte, O TEMPO, pode ser lida também no site www.otempo.com.br Clicar colunas. Ela está liberada para publicações. Ficarei grato pela citação nelas de meus livros: “A Face Oculta das Religiões”, “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência” Ed. EBM (SP) e “A Bíblia e o Espiritismo”, Ed. Espaço Literarium, Belo Horizonte (MG) – www.literarium.com.br - e meu e-mail: jreischaves@gmail.com - José Reis Chaves

Meus livros podem ser adquiridos comigo: Telefone (31) 3373-6870 Email: jreischaves@gmail.com com a Ed. Chico Xavier, www.editorachicoxavier.com.br Telefone: 0800-283-7147, a Ed. Sinal Verde: www.sinalverdelivros.com.br - Telefone: (11) 2409-1540, e com a Ed. EBM www.ebmeditora.com.br Telefone (11) 3186-9766.


 





topo


Leiam outros textos de José Reis Chaves:



>   As 400 mil alterações da Bíblia e suas abusivas interpretações
>   O Aborto é condenado pelas religiões, mas com diferentes opiniões
>   Ampliemos Nossos Santos Patrimônios, Amando Nossos Demônios
>   Analisando-se as ressurreições, constata-se que elas são também aparições
>   A Bíblia não é a palavra de Deus, mas a palavra sobre Deus
>   O Criacionismo e o Evolucionismo são duas verdades possíveis

>   Criam-se conflitos e até traumas com as mudanças de paradigmas
>  O cristianismo está dividido entre os dogmas e o evangelho
>   Demos as mãos à verdade, acatando na Bíblia a Mediunidade
>   Deus Criador Incriado e Superior, e Deus Criador Criado e Superior
>   Deus e o livre-arbítrio
>   A Diversidade religiosa  
>   A doutrina evangélica das obras e a paulina de sacrifícios e da graça
>   Em grego e português, palingenesia é sinônima de reencarnação
>   Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque
>   É o Espírito Santo dogmático que causa polêmica, não o bíblico
>   Espiriticamente, como se explicaria a tragédia de Santa Maria?
>   O Espiritismo nada tem a ver com Bruxaria e menos ainda com feitiçaria
>   A Fé sem obras é a contrária à razão, a Raciocinada leva-nos à ação
>   Fiéis ao Espiritismo Científico, mas não ao seu lado evangélico
>   A fraca e estéril Fé da Educação e a forte e fértil Fé da Instrução
>   A graça divina é nula enquanto nós não nos dispusermos a recebê-la
>   A grande mentira: ninguém veio do além para nos contar como é lá
>   Há o nascer “de novo” do espírito sim, mas há também o da carne
>   Homens inspirados por espíritos tidos como Deus escreveram a Bíblia
>   Honremos a Bíblia Mosaica, mas sigamos a Cristã em nada judaica
>   A Mulher não é Ovípara
>   Nós nos movemos no tempo, mas é ele que se move em Deus
>   Para os Cristãos, ele é um Encanto, mas o que é mesmo o Espírito Santo?
>   Para uns a reencarnação é maldita, mas na verdade ela é bendita
>   As penas bíblicas são eternas e jamais poderiam ser sempiternas
>   Qual cristianismo é o verdadeiro, o dogmático ou o evangélico?
>   Qual é o certo, o Deus ou o espírito santo na terceira pessoa?
>   A reencarnação segundo a Bíblia e a ciência
>   Ressurreição e reencarnação, duas palavras que são uma
>   Satanás e diabos não são bem espíritos, e os demônios somos todos nós
>   Só de Deus é a Infinita Providência, e não é menor a sua previdência
>   Teologia nunca foi matemática, os Teólogos criaram essa problemática
>   Um Paradigma de Fé Ortodoxo, eis o que faz da Igreja um paradoxo
>   A universalidade da reencarnação
>   Vivam as crenças inclusivistas e Abaixo as Exclusivistas

 


topo




Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z 
  - Allan Kardec
   -   Special Page - Translated Titles
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual :