José Reis Chaves

>     Não é o assassinato de Jesus que nos salva

Artigos, teses e publicações

José Reis Chaves
>    Não é o assassinato de Jesus que nos salva


 

Não é o assassinato de Jesus que nos salva
Vivência de um amor fraternal incondicional recíproco

Basta pensarmos bem, para concluirmos que, de fato, o título desta matéria, diz uma grande verdade.

O Espírito do homem Jesus foi enviado encarnado ao nosso planeta Terra para cumprir uma grande missão, a de trazer-nos um código de uma moral, que é a mais perfeita de que se tem notícia, para ela ajudar a humanidade a avançar na sua evolução espiritual e moral. E, com ela, podermos nos salvar (leia-se libertar), desde que, é claro, passemos a praticar essa moral, a qual se caracteriza pela prática da vivência de um amor fraternal incondicional recíproco entre todas as pessoas. Eu até diria entre todos os espíritos encarnados e desencarnados.

Aristóteles disse que o homem é um animal social. Mas os seres humanos têm que se amar como sendo irmãos, pois, somos filhos de Deus e, mesmo porque, nós, para vivermos, precisamos uns dos outros.

Há uma crença cristã que diz que Deus é o mais importante Ser que existe e com um amor infinito para com todos nós. Então, uma ofensa a Ele é gravíssima, pois que faz sofrer um Ser infinito e que, pois, merece também uma pena no nível equivalente (leia-se infinito) do Ser ofendido, Deus.

Porém, como não é Deus que sofre com os nossos pecados, e sim as vítimas e os autores dos pecados pela lei de causa e efeito? Bem disse Santo Agostinho que pecado é falta de amor... E, de acordo com a lei moral universal de causa e efeito, nós colhemos mesmo o que nós semeamos. Assim, pois, o mandamento divino nos aconselha para não pecarmos exatamente porque Deus ama com amor infinito tanto a vítima do pecado como o autor dele, pelo que não quer o mal de nenhum deles...

E antes de terminarmos esta coluna, falemos um pouco sobre a reencarnação que muitos dizem que ela anula o sacrifício de morte de Jesus na cruz. Pelo contrário, nesse sentido, ela até confirma o valor dele e da misericórdia infinita, pois, dá novas chances ao indivíduo de se salvar.

E quanto a Paulo ter falado que o sacrifício de Jesus dispensa todos os outros sacrifícios, ele era um judeu muito fervoroso e que, pois, pensava que sacrifícios agradassem a Deus. Mas errou, o que é normal, pois, nem Jesus sabia tudo (Mateus 24: 36), e somente Deus é infalível. Porém, como Paulo foi o primeiro escritor do Novo Testamento, essas suas ideias erradas passaram para os evangelhos, e assim, para o cristianismo. Ademais, sobre sacrifícios, Jesus disse: “Basta de sacrifícios, eu quero misericórdia” (Mateus 12: 7).

E ficamos por aqui dizendo que a morte de Jesus na cruz é o maior pecado que já houve no nosso planeta Terra. E será que um pecado pode anular outros pecados? Essa doutrina endoida qualquer teólogo sincero!

 

 

PS: Com este colunista “Presença Espírita na Bíblia” na TV Mundo Maior. Palestras e entrevistas em TVs com ele (YouTube). Seus livros estão na Amazon, inclusive, os em inglês. E a tradução da Bíblia, NT. Contato Cássia e Cléia contato@editorachicoxavier.com.br

 

 

 

 

Fonte: https://www.otempo.com.br/opiniao/jose-reis-chaves/nao-e-o-assassinato-de-jesus-que-nos-salva-1.3340785

 




topo

 

 

Leiam outros textos de José Reis Chaves:



>   As 400 mil alterações da Bíblia e suas abusivas interpretações
>   O Aborto é condenado pelas religiões, mas com diferentes opiniões
>   Ampliemos Nossos Santos Patrimônios, Amando Nossos Demônios
>   Analisando-se as ressurreições, constata-se que elas são também aparições
>   A Bíblia não é a palavra de Deus, mas a palavra sobre Deus
>   A bilocação ou a viagem astral dos santos
>   A crença na reencarnação é quase universal
>   O Criacionismo e o Evolucionismo são duas verdades possíveis

>   Criam-se conflitos e até traumas com as mudanças de paradigmas
>  O cristianismo está dividido entre os dogmas e o evangelho
>   O cristão Kardec não adulterou a Bíblia e menos ainda fez outra
>   Demos as mãos à verdade, acatando na Bíblia a Mediunidade
>   Deus Criador Incriado e Superior, e Deus Criador Criado e Superior
>   Deus e o livre-arbítrio
>   A Diversidade religiosa  
>   A doutrina evangélica das obras e a paulina de sacrifícios e da graça
>   Em grego e português, palingenesia é sinônima de reencarnação
>   Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque
>   É o Espírito Santo dogmático que causa polêmica, não o bíblico
>   Espiriticamente, como se explicaria a tragédia de Santa Maria?
>   O Espiritismo nada tem a ver com Bruxaria e menos ainda com feitiçaria
>   O Espiritismo tem evidências científicas
>   Espírito Santo é todo espírito comunicante
>   A Fé sem obras é a contrária à razão, a Raciocinada leva-nos à ação
>   Fiéis ao Espiritismo Científico, mas não ao seu lado evangélico
>   A fraca e estéril Fé da Educação e a forte e fértil Fé da Instrução
>   A graça divina é nula enquanto nós não nos dispusermos a recebê-la
>   A grande mentira: ninguém veio do além para nos contar como é lá
>   Há o nascer “de novo” do espírito sim, mas há também o da carne
>   Homens inspirados por espíritos tidos como Deus escreveram a Bíblia
>   Honremos a Bíblia Mosaica, mas sigamos a Cristã em nada judaica
>   A Mulher não é Ovípara
>   Não é o assassinato de Jesus que nos salva
>   Nós nos movemos no tempo, mas é ele que se move em Deus
>   Para os Cristãos, ele é um Encanto, mas o que é mesmo o Espírito Santo?
>   Para uns a reencarnação é maldita, mas na verdade ela é bendita
>   As penas bíblicas são eternas e jamais poderiam ser sempiternas
>   Qual cristianismo é o verdadeiro, o dogmático ou o evangélico?
>   Qual é o certo, o Deus ou o espírito santo na terceira pessoa?
>   A reencarnação segundo a Bíblia e a ciência
>   Ressurreição e reencarnação, duas palavras que são uma
>   Satanás e diabos não são bem espíritos, e os demônios somos todos nós
>   Se sua morte resgatou nossos pecados, pecado paga pecado!
>   Só de Deus é a Infinita Providência, e não é menor a sua previdência
>   Teologia nunca foi matemática, os Teólogos criaram essa problemática
>   Um Paradigma de Fé Ortodoxo, eis o que faz da Igreja um paradoxo
>   A universalidade da reencarnação
>   Vivam as crenças inclusivistas e Abaixo as Exclusivistas

 


topo



Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z 
  - Allan Kardec
   -   Special Page - Translated Titles
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual :