José Reis Chaves

>     Se sua morte resgatou nossos pecados, pecado paga pecado!

Artigos, teses e publicações

José Reis Chaves
>    Se sua morte resgatou nossos pecados, pecado paga pecado!

 

 

A morte vicária de Jesus na cruz significa que seu sofrimento foi muito agradável a Deus, e, em consequência disso, os pecados da humanidade, que tanto teriam ofendido a Deus, teriam sido resgatados ou pagos. Isso é o que tenho chamado de teologia de sangue.

O pecado faz sofrer nosso próximo e, por consequência, de acordo com a lei inexorável bíblica e universal de causa e efeito, faz-nos sofrer também, pois a cada um será dado de acordo com suas obras (Mateus 16: 27). E ninguém deixará de pagar tudo até o último centavo (Mateus 5: 26). Isso quer dizer que, quando pagarmos o último centavo de nossas faltas, estaremos quites com a lei de causa e efeito e, portanto, não vamos pagar mais nada, o que derruba totalmente por terra as chamadas penas eternas no sentido como foram entendidas, erradamente, pelos teólogos cristãos antigos e ainda por um grande número dos da atualidade.

As exceções dos que não aceitam essas ideias absurdas incompatíveis com o Deus verdadeiro de amor infinito e irrestrito para com todos os seus filhos (Atos 10: 34) são dos teólogos cristãos espíritas e de uma minoria de avançados teólogos católicos e protestantes. E os cristãos ainda mais agarrados a essas ideias de um Deus pagão, sofredor, de terror e vingador, com suas penas infernais sempiternas, são os nossos irmãos evangélicos. Aliás, muitos pastores, não todos, usam essas penas infernais como meio de amedrontar seus fiéis e, assim, pegarem mais dízimos deles.

Todas as religiões recebem influências de outras. O cristianismo as recebeu dos judeus antigos, que, por sua vez, receberam as dos fenícios, caldeus e outros povos antigos da região do chamado Oriente Médio.

Essas ideias de um Deus que sofre com as nossas faltas e de ser Ele um castigador vingativo cruel e antropomórfico (de natureza humana) originaram-se dos deuses ou espíritos humanos desencarnados que se comunicavam através dos médiuns (na Bíblia, profetas), deuses esses que foram erradamente tidos como sendo o próprio e verdadeiro Deus. E esses deuses ou espíritos desencarnados são confirmados pelo próprio Jesus: “Vós sois deuses” (João 10: 34). Entre esses deuses há os bons, os mais ou menos e os maus e enganadores. Daí João Evangelista nos recomendar que examinemos os espíritos para sabermos se são bons ou maus, para que não venhamos dar crédito aos que são maus (Primeira Carta de João 4: 1). É por isso que Moisés, também, até proibiu a comunicação com os espíritos desencarnados (Deuteronômio capítulo 18).

Mas ele elogiou os médiuns (profetas na Bíblia) esclarecidos, verdadeiros e não mercenários Medade e Heldade, os quais recebiam espíritos bons e profetizavam (Números 11: 24 a 30).

Deus não sofre com os nossos pecados, além de Ele não ser um espírito atrasado vampiro, que se deleita com sangue derramado e menos ainda com sangue humano. Que Deus seria esse? Essa teologia, além de ser absurda, leva muitos ao ateísmo!

Os deuses ou espíritos humanos evoluídos não ensinam a teologia de sangue nem que Deus sofre com os nossos pecados vingando-os de modo exagerado e, pois, injusto, e menos ainda esses espíritos humanos evoluídos ensinam o absurdo de que um pecado como o do assassinado de Jesus anula nossos pecados!


Fonte: https://www.otempo.com.br/opiniao/jose-reis-chaves/se-sua-morte-resgatou-nossos-pecados-pecado-paga-pecado-1.1170004



topo


Leiam outros textos de José Reis Chaves:



>   As 400 mil alterações da Bíblia e suas abusivas interpretações
>   O Aborto é condenado pelas religiões, mas com diferentes opiniões
>   Ampliemos Nossos Santos Patrimônios, Amando Nossos Demônios
>   Analisando-se as ressurreições, constata-se que elas são também aparições
>   A Bíblia não é a palavra de Deus, mas a palavra sobre Deus
>   A crença na reencarnação é quase universal
>   O Criacionismo e o Evolucionismo são duas verdades possíveis

>   Criam-se conflitos e até traumas com as mudanças de paradigmas
>  O cristianismo está dividido entre os dogmas e o evangelho
>   O cristão Kardec não adulterou a Bíblia e menos ainda fez outra
>   Demos as mãos à verdade, acatando na Bíblia a Mediunidade
>   Deus Criador Incriado e Superior, e Deus Criador Criado e Superior
>   Deus e o livre-arbítrio
>   A Diversidade religiosa  
>   A doutrina evangélica das obras e a paulina de sacrifícios e da graça
>   Em grego e português, palingenesia é sinônima de reencarnação
>   Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque
>   É o Espírito Santo dogmático que causa polêmica, não o bíblico
>   Espiriticamente, como se explicaria a tragédia de Santa Maria?
>   O Espiritismo nada tem a ver com Bruxaria e menos ainda com feitiçaria
>   Espírito Santo é todo espírito comunicante
>   A Fé sem obras é a contrária à razão, a Raciocinada leva-nos à ação
>   Fiéis ao Espiritismo Científico, mas não ao seu lado evangélico
>   A fraca e estéril Fé da Educação e a forte e fértil Fé da Instrução
>   A graça divina é nula enquanto nós não nos dispusermos a recebê-la
>   A grande mentira: ninguém veio do além para nos contar como é lá
>   Há o nascer “de novo” do espírito sim, mas há também o da carne
>   Homens inspirados por espíritos tidos como Deus escreveram a Bíblia
>   Honremos a Bíblia Mosaica, mas sigamos a Cristã em nada judaica
>   A Mulher não é Ovípara
>   Nós nos movemos no tempo, mas é ele que se move em Deus
>   Para os Cristãos, ele é um Encanto, mas o que é mesmo o Espírito Santo?
>   Para uns a reencarnação é maldita, mas na verdade ela é bendita
>   As penas bíblicas são eternas e jamais poderiam ser sempiternas
>   Qual cristianismo é o verdadeiro, o dogmático ou o evangélico?
>   Qual é o certo, o Deus ou o espírito santo na terceira pessoa?
>   A reencarnação segundo a Bíblia e a ciência
>   Ressurreição e reencarnação, duas palavras que são uma
>   Satanás e diabos não são bem espíritos, e os demônios somos todos nós
>   Se sua morte resgatou nossos pecados, pecado paga pecado!
>   Só de Deus é a Infinita Providência, e não é menor a sua previdência
>   Teologia nunca foi matemática, os Teólogos criaram essa problemática
>   Um Paradigma de Fé Ortodoxo, eis o que faz da Igreja um paradoxo
>   A universalidade da reencarnação
>   Vivam as crenças inclusivistas e Abaixo as Exclusivistas

 


topo




Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z 
  - Allan Kardec
   -   Special Page - Translated Titles
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual :