José Reis Chaves

>   Deus e o livre-arbítrio

Artigos, teses e publicações

José Reis Chaves
>   Deus e o livre-arbítrio

 


O nosso livre-arbítrio está para o nosso intelecto, assim como a nossa fala está para o nosso pensamento. O livre-arbítrio supõe a existência do intelecto, assim como a fala supõe a existência do pensamento. E esses nossos atributos interagem e confundem-se entre si no nosso agir constante.

Para Spinoza, o nosso livre-arbítrio é limitado, pois depende de nossa consciência, que nunca é totalmente plena. Só a de Deus o é. E, segundo Santo Agostinho, ele é-nos limitado por causa do nosso pecado original. E, na verdade, o pecado original é o nosso carma com o qual nascemos.

São polêmicas essas questões do livre-arbítrio e do seu oposto, o determinismo, pois ambos são relativos. Quanto mais evoluído for o espírito, maior é seu livre-arbítrio, e, conseqüentemente, maior sua responsabilidade. É oportuno aqui nos lembrarmos da frase de Pietro Ubaldi: “Só há responsabilidade onde há liberdade”

Com efeito, diante do livre-arbítrio, a Doutrina da Predestinação é insustentável. O Nazareno, com sua frase “Eu sou o caminho”, mostrou-nos que nós temos que optar por seu Evangelho, mas se o nosso destino já tivesse sido traçado por Deus, para que escolheríamos esse caminho? O Novo Catecismo da Igreja diz que o vigário de Cristo na Terra é a voz de nossa consciência. E a pergunta 621 do “Livro dos Espíritos” de Kardec tem, como resposta, que a Lei de Deus está escrita na nossa consciência. Ora, Deus não teria gravado nela a sua Lei, se não fosse para ela ser seguida por nós, e para isso, ela tem que passar pelo crivo de nossa vontade. E o nosso destino é feito por nós mesmos, isto é, pelo nosso carma, pois a Lei de Causa e Efeito é inexorável. “A toda ação corresponde uma reação de igual potência e reversibilidade”. “Colhemos o que plantamos”. E “Ninguém deixará de pagar até ao último centavo”. Mas, também, ao pagarmos o último centavo, estaremos quites!

Se o mundo está um caos, é justamente porque os seres humanos abusam do seu livre-arbítrio. E, Infelizmente, os dirigentes de religiões, às vezes, não ensinam para os seus fiéis que seu ego tem de ser disciplinado e dominado pelo seu eu interior, e não o contrário. Segundo o ensinamento de Jesus, é imprescindível a renúncia a nós mesmos, como condição, “sine qua non”, ficaremos estagnados espiritual e moralmente.

E como, também, as explicações teológicas tradicionais não satisfazem às indagações existenciais de muitos sobre a balbúrdia do mundo, eles acabam abraçando o ateísmo Mas a crença racional em Deus é sempre uma realidade mais concreta, haja vista o que disseram Voltaire e Einstein, respectivamente: “Se Deus não existisse, nós teríamos que O inventar” e “Cada porta do conhecimento que abro, encontro Deus.”

 



Autor do livro “Quando Chega a Verdade” (Ed.Martin Claret), entre outros.




topo

 

 

Leiam outros textos de José Reis Chaves:



>   As 400 mil alterações da Bíblia e suas abusivas interpretações
>   O Aborto é condenado pelas religiões, mas com diferentes opiniões
>   Ampliemos Nossos Santos Patrimônios, Amando Nossos Demônios
>   Analisando-se as ressurreições, constata-se que elas são também aparições
>   A Bíblia não é a palavra de Deus, mas a palavra sobre Deus
>   O Criacionismo e o Evolucionismo são duas verdades possíveis

>   Criam-se conflitos e até traumas com as mudanças de paradigmas
>  O cristianismo está dividido entre os dogmas e o evangelho
>   Demos as mãos à verdade, acatando na Bíblia a Mediunidade
>   Deus Criador Incriado e Superior, e Deus Criador Criado e Superior
>   Deus e o livre-arbítrio
>   A Diversidade religiosa  
>   A doutrina evangélica das obras e a paulina de sacrifícios e da graça
>   Em grego e português, palingenesia é sinônima de reencarnação
>   Em Teologia não sejamos um moleque, saibamos, pois, o que é Filioque
>   É o Espírito Santo dogmático que causa polêmica, não o bíblico
>   Espiriticamente, como se explicaria a tragédia de Santa Maria?
>   O Espiritismo nada tem a ver com Bruxaria e menos ainda com feitiçaria
>   A Fé sem obras é a contrária à razão, a Raciocinada leva-nos à ação
>   Fiéis ao Espiritismo Científico, mas não ao seu lado evangélico
>   A fraca e estéril Fé da Educação e a forte e fértil Fé da Instrução
>   A graça divina é nula enquanto nós não nos dispusermos a recebê-la
>   A grande mentira: ninguém veio do além para nos contar como é lá
>   Há o nascer “de novo” do espírito sim, mas há também o da carne
>   Homens inspirados por espíritos tidos como Deus escreveram a Bíblia
>   Honremos a Bíblia Mosaica, mas sigamos a Cristã em nada judaica
>   A Mulher não é Ovípara
>   Nós nos movemos no tempo, mas é ele que se move em Deus
>   Para os Cristãos, ele é um Encanto, mas o que é mesmo o Espírito Santo?
>   Para uns a reencarnação é maldita, mas na verdade ela é bendita
>   As penas bíblicas são eternas e jamais poderiam ser sempiternas
>   Qual cristianismo é o verdadeiro, o dogmático ou o evangélico?
>   Qual é o certo, o Deus ou o espírito santo na terceira pessoa?
>   A reencarnação segundo a Bíblia e a ciência
>   Ressurreição e reencarnação, duas palavras que são uma
>   Satanás e diabos não são bem espíritos, e os demônios somos todos nós
>   Só de Deus é a Infinita Providência, e não é menor a sua previdência
>   Teologia nunca foi matemática, os Teólogos criaram essa problemática
>   Um Paradigma de Fé Ortodoxo, eis o que faz da Igreja um paradoxo
>   A universalidade da reencarnação
>   Vivam as crenças inclusivistas e Abaixo as Exclusivistas

 


topo


Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z 
  - Allan Kardec
   -   Special Page - Translated Titles
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual :