Ricardo Mariano

>    O Futuro não será protestante

Artigos, teses e publicações

Ricardo Mariano
>    O Futuro não será protestante

 

 

Ricardo Mariano é doutor em sociologia pela USP, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da PUCRS.


Resumo

O trabalho discute, com base no caso brasileiro, a ideia de que a América Latina está se tornando protestante. Discorda de que a “explosão protestante” tem potencial para transformar a cultura e modernizar a economia latino-americana.

Mostra o declínio numérico do protestantismo tradicional e o vertiginoso crescimento do pentecostalismo. Defende a tese de que o pentecostalismo não é portador das virtualidades modernizantes contidas na ética calvinista analisada por Weber.

Argumenta que o pentecostalismo vem promovendo sucessivas acomodações sociais, transformando-se numa religião cada vez menos ascética, menos sectária, menos distintiva e, portanto, mais vulnerável à antropofagia brasileira.


* texto disponível em pdf - clique aqui para acessar

 

 

 

Fonte: Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, ano 1, n. 1, p. 89-114, set. 1999

 

 

 

Ricardo Mariano é professor da PUC do Rio Grande do Sul e autor de Neopentecostais: Sociologia do novo pentecostalismo no Brasil (Loyola, 1999).

 

 

 

 

Ricardo Mariano - leiam
seta dupla verde claro direita  Deus é voto - Depois de quase um século sem se fazer notar, a mistura de religião com política hoje é essencial para o debate democrático

seta dupla verde claro direita  O dinheiro é o sangue da Igreja
seta dupla verde claro direita  Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal
seta dupla verde claro direita  O Futuro não será protestante
seta dupla verde claro direita  Pentecostais e política no Brasil
seta dupla verde claro direita  O pentecostalimo no Brasil, cem anos depois
seta dupla verde claro direita  Religião e política. A instrumentalização recíproca



 



topo