Espirituialidades e Sociedade


Notícias:

>  Há 38 anos, em 09 de março de 1984, desencarnava a médium Yvonne do Amaral Pereira



Compartilhar
 

 

 

11/03/2022


Há 38 anos, em 09 de março de 1984, desencarnava a médium Yvonne do Amaral Pereira

 

 

 

 

Em breve mensagem o professor, escritor e pesquisador Pedro Camilo nos lembrou da desencarnação dela e recordou o seu trabalho sobre a médium Yvonne Pereira

 

À pesquisa e divulgação de sua vida e de sua obra, tenho dedicado a maior parte de minha atual existência: desde janeiro de 1999, quando tinha apenas 17 anos, essa ligação mais se estreita e produz bons frutos.

Ao longo desses 24 anos de divulgação, além das palestras e seminários realizados no Brasil e em Portugal, publiquei, até o momento, 5 livros sobre ela, que são:

- Yvonne Pereira: uma heroína silenciosa (2003);
- Pelos caminhos da mediunidade serena (2006);
- Devassando a mediunidade: estudo da obra de Yvonne Pereira (2009),
- Yvonne Pereira: entre cartas e recordações (2016);
- Tuti, a menina médium. Yvonne Pereira para crianças (2017).

Que outras escritas ainda estarão por vir?

Receba, querida Yvonne, nossos pensamentos de gratidão!

Pedro Camilo
(mais abaixo, nesta página, capas destes livros)

 

O expositor Sérgio Thiesen publicou sobre ela no facebook:

 

Há 38 anos, em 9 de março de 1984, desencarnava a amiga querida e médium D. Yvonne do Amaral Pereira, no Rio de Janeiro.

D. Yvonne começou a escrever os ditados espirituais quando ainda era jovem, porém sem revelar tal acervo ao público até que, por insistência dos Espíritos e pela chancela de Chico Xavier, ela submeteu os textos à Federação Espírita Brasileira, que então cuidou de fazer a publicação das obras, dentre as quais destacamos:

"Memórias de um Suicida" (1955): ditada por Camilo Cândido Botelho (pseudônimo do famoso escritor português Camilo Castelo Branco), sob a vistoria do Espírito Léon Denis. Constitui-se num libelo contra o suicídio, descrevendo em sua primeira parte, os sofrimentos experimentados pelos que atentaram contra a própria vida. Na segunda e na terceira partes focaliza os trabalhos de assistência e de preparação para uma nova encarnação. Esta obra é considerada um marco na bibliografia mediúnica brasileira e o melhor exame sobre o suicídio sob o ponto de vista doutrinário espírita;

"Nas Telas do Infinito": apresenta duas novelas: uma atribuída ao espírito Bezerra de Menezes e outra a Camilo Castelo Branco;

"Amor e Ódio" (1956): ditada pelo Espírito Charles, enfoca o drama de um ex-aluno francês do Prof. Rivail (Allan Kardec), o artista Gaston de Saint-Pierre, acusado de um crime que não cometera. Após grandes padecimentos, recebe os esclarecimentos elucidativos por meio de um exemplar de "O Livro dos Espíritos", à época em que este foi lançado pelo codificador;

"A Tragédia de Santa Maria" (1957): da autoria espiritual de Bezerra de Menezes, ambientado em uma fazenda de café em Vassouras, RJ. Trata da história real de uma rica família escravocrata, sobre cuja uma tragédia se abateu. Mostrando o ontem e o hoje, o romance de Bezerra é destinado sobretudo "a essa juventude tão rica de generosos pendores, tão enamorada de ardentes ideais quanto desordenada e inconsequente em suas diretrizes, e a quem escasseiam exemplos edificantes, lições enaltecedoras";

"Nas Voragens do Pecado" (1960): primeiro volume de uma trilogia do seu guia, Charles, relatando a trágica história do massacre dos huguenotes na Noite de São Bartolomeu (23 de Agosto de 1572), ocasião em que a médium vivenciava uma de suas reencarnações, então na personalidade de Ruth-Carolina de la Chapelle;

"Ressurreição e Vida" (1963): do Espírito Leon Tolstoi, compreende seis contos e dois minirromances ambientados na Rússia dos czares;

"Dramas da Obsessão" (1964): ditado por Bezerra de Menezes, compreende duas novelas abordando o tema obsessão;

"Sublimação" (1974): apresenta dois contos ditados pelo Espírito protetor, Charles; um ambientado na Pérsia e outro na Espanha, e três contos de autoria de Leon Tolstoi, todos ambientados na Rússia;

"O Cavaleiro de Numiers" (1976): segundo volume da trilogia de Charles, mostra outra encarnação da médium, ainda na França, na personalidade de Berth de Sourmeville;

"O Drama da Bretanha" (1978): terceiro e conclusivo volume da trilogia de Charles, que ilustra como a médium, agora personalizando Andrea de Guzman, não consegue suportar os embates de sua expiação e se suicida por afogamento.

De sua própria lavra, publicou duas obras de grande sucesso no meio espírita, especialmente para apreciação da mediunidade:

"Devassando o Invisível" (1963): a autora desenvolve uma dezena de estudos sobre temas doutrinários, com base em suas experiências mediúnicas;

"Recordações da Mediunidade" (1968): Yvonne discorre sobre reminiscências de vidas passadas, arquivos da alma, materializações, premonição e obsessão.

Postumamente, seus escritos pessoais têm sido recuperados e transformados em obras, por exemplo:
"À Luz do Consolador" (1997): coletânea de artigos da médium originalmente publicados na revista Reformador, entre a década de 1960 e a de 1980;

"Cânticos do Coração" (1994): coletânea de artigos publicados no jornal Obreiros do Bem.
Toda renda de sua obra literária foi voluntariamente destinada à FEB.

Yvonne partiu para a pátria espiritual em 9 de março de 1984, quando se submetera a uma cirurgia de colocação de um marca-passo, deixando um legado inestimável e gravando seu nome no rol dos mais respeitáveis médiuns espíritas de todos os tempos.
Vale recordar que ela nasceu em 24 de dezembro de 1900. Um presente de amor a todos nós...

Abaixo capas dos livros escritos por Pedro Camilo sobre Yvonne:

 

 

 


 

Fonte: facebook de Pedro Camilo e Sérgio Thiesen

 

 

 

 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações