Espiritualidade e Sociedade





Benivaldo Nunes Lima; Uelinton Dias; Hamilton Castro da Silva

>   Paulo depois de Paulo: a Escola Paulina

Artigos, teses e publicações

Benivaldo Nunes Lima; Uelinton Dias; Hamilton Castro da Silva
>   Paulo depois de Paulo: a Escola Paulina

 

 

 

Resumo

A pesquisa histórico-crítica desde o século XIX tem trabalhado com a hipótese de uma escola paulina, verificando o processo de recepção e adaptação da teologia de são Paulo, diante das necessidades pastorais diferentes e as novas exigências nos cristianismos originários, gerando os escritos conhecidos como deuteropaulinos. Essa comunicação pretende abordar o problema da definição de uma escola paulina, procurando um modelo de comparação com algumas escolas de filosofia da Antiguidade, com escolas do período do Judaísmo do Segundo Templo e as escolas do ambiente rabínico. Na investigação de alguns indícios da escola paulina, verificamos que na educação de são Paulo, pode ser observado algumas tradições importantes: a farisaica, a helenística e a cristã. Na recepção dessas tradições durante o trabalho itinerante paulino, constata-se a presença de colaboradoras e colaboradores de Paulo, que seriam missionários itinerantes que colaboravam com ele durante um período de tempo. Essas colaboradoras e colaboradores seriam líderes nas respectivas comunidades fundadas pelo apóstolo Paulo. Nesse quadro funcional de participantes do projeto missionário, percebe-se que os colaboradores estavam diretamente vinculados com algumas comunidades cristãs, onde eles assumiam a função de corredatores das cartas paulinas. Essa comunicação tem como pressuposto, que a escola paulina, ou até mesmo, as escolas paulinas, tem suas origens nesse círculo de colaboradores, que seriam os portadores e mantenedores da tradição da herança da teologia paulina. Eles procuravam manter a tradição oriunda de são Paulo, produzindo literatura que atendessem as novas demandas e as novas contextualizações culturais do cristianismo, produzindo a literatura deuteropaulina.

A pesquisa bíblica desde o século XIX, através do método histórico-crítico, verificou que na história da recepção do pensamento paulino, pode se obervar uma escola paulina. A pesquisa trabalha com o pressuposto que das treze cartas atribuídas a Paulo, sete são autênticas e seis são deuteropaulinas. O motivo da elaboração desta literatura pseudepigráfica foi à necessidade de responder a novas atualizações, objetivando uma busca de adaptação da religião cristã, procurando torná-la aceitável para os padrões culturais do ambiente cultural romano e a legitimação de doutrinas eclesiásticas recorrendo ao nome de Paulo para dar autoridade a esses escritos.

 

 

>>>  texto disponível em pdf - clique aqui para acessar

 

 

 

Nome: Benivaldo Nunes Lima
Titulação: Mestrando Instituição: ITEB

Nome: Uelinton Dias
Titulação: Mestrando Instituição: FÉ 48

Nome: Hamilton Castro da Silva
Titulação: Mestrando Instituição: FÉ



 

 

 

 

 

 



* * *

 


 



topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z 
  - Allan Kardec
   -   Special Page - Translated Titles
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual :