Espiritualidade e Sociedade - Bibliografia


Vídeos


Globo Repórter Especial 2006

Ciência e Espiritualidade

Compartilhar

Globo Repórter Especial 2006
>    Ciência e Espiritualidade


 

 

PARTE 1 / 5

Para assistir no Youtube: - https://youtu.be/NneEiR0-BC8


PARTE 2 / 5

Para assistir no Youtube: - https://youtu.be/iXXe-SfYi-Y

PARTE 3 / 5

Para assistir no Youtube: - https://youtu.be/Bj6MW83Eb7M

 

PARTE 4 / 5

Para assistir no Youtube: - https://youtu.be/qiRONE5v8Sc

 

PARTE 5 / 5

Para assistir no Youtube: - https://youtu.be/cuqkUfy-ZFI

 

Making of - Momentos fenomenais

Era o início da produção do programa e lá fomos nós, caçadores de fenômenos, ávidos por mostrar o sobrenatural gravado em cores, com som estéreo, bem iluminado ou no escuro, movendo objetos ou fazendo adivinhações e quem sabe até prevendo o futuro. É uma expectativa humana, compreensível e é, também, parte de nossa inquietação profissional. E, por mais contraditório que possa parecer, o tempero dessa busca é feito de uma certa descrença prévia diante daquilo que ainda nem tínhamos visto e, claro, um bom punhado de medo. Nada mais humano. E não é que fomos surpreendidos. Ainda bem. Assim que as gravações começaram, percebemos que a novidade não estava naquilo que a ciência ainda não consegue explicar, mas sim nas histórias das pessoas com quem conversamos. Quantas vezes, no meio de uma entrevista, nossa equipe se espantava: "Não é que a gente não havia pensado nisso...". Por exemplo, como se relaciona com parentes e amigos uma pessoa que diz viajar para fora do corpo? O que pensam dela e qual o tamanho da sua solidão? De que forma médicos e profissionais de saúde que reconhecem manifestações ditas "espirituais" convivem com o ceticismo dos colegas? E o que leva alguém a abrir mão da vida pessoal e emprestar o corpo para que um ser de outro mundo ajude os necessitados? Tantas dúvidas e tantas perguntas acabaram traçando a forma de conduzir o programa. Era preciso enxergar além dos fenômenos que procurávamos. E, assim, foram surgindo histórias de pessoas caridosas, que têm coragem de se expor e que, nem sempre, são tratadas com o respeito que merecem. Elas nos mostraram um outro jeito de encarar a vida com um olhar menos preconceituoso e mais abrangente. No fim das contas, a produtora Francesca Terranova, o diretor Saulo de la Rue, o repórter cinematográfico José Henrique, o técnico Mário Amorim, a editora de imagens Gisele Machado e eu vimos que a raridade revelada em nossa investigação não estava nos "fantasmas" que, graças a Deus, não encontramos. No mundo dos vivos, tem sido raro encontrar gente solidária, fraterna, disposta a ouvir o outro e a dar esperança a quem está descrente de si mesmo. Foram esses milagres que, humildemente, tentamos mostrar no programa. Um abraço, Sandro Dalpícolo, Repórter

Capítulo 1. Viagem astral. Para a maioria das pessoas, sair do corpo é um desafio impensável. Mas para a psicóloga Marina Thomaz e para a professora Ana Maria dos Santos não. Elas eram crianças quando fizeram os primeiros passeios, na chamada viagem astral. (texto completo no endereço acima)

Capítulo 2. Fé no Espiritismo

Reencarnação. Um menino com nome de anjo e uma história incomum. Seria o estudante Gabriel Falcão o espírito de um tio, que nem chegou a conhecer este mundo? Ele é filho do escritor Waldemar Falcão e neto da corretora de imóveis Nélia Campello Falcão.

Cura espiritual. Casos assim fazem parte da história de um lugar como o Centro Espírita Lar de Frei Luiz, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Uma impressionante quantidade de pessoas vão ao local todas as semanas. Só nas quartas-feiras, são 4 mil.

Capítulo 3. A experiência de quase morte. Luz no fim do túnel: saída ou porta de entrada para uma outra vida? As visões de quem esteve à beira da morte são impressionantes. A empresária Marisa Cruz Brillinger e o advogado Solon Michalski não esperam que alguém acredite no que eles viram do outro lado.

Capítulo 4. Um amor de três séculos. Uma história de amor que se passou em Viena, no início do século 18. Mas os personagens vivem no Rio de Janeiro, no início do século 21. Será possível? "Ele era um militar do Império Austro-Húngaro. E eu era uma jovem casada com um aristocrata da época", conta a psicoterapeuta Célia Resende.

Capítulo 5. Budismo e física quântica. Um pequeno sítio perto de Porto Alegre e um nome cheio de significados: Caminho do Meio. Um lugar para aproximar o budismo da cultura ocidental. O encarregado dessa missão foi professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS) e é mestre em física quântica.

Informações: Célia Resende, psicoterapeuta - célia.resende@openlink.com.br; Centro Budista Caminho do Meio - www.caminhodomeio.org - contato@caminhodomeio.org; Centro Espírita Lar de Frei Luiz - Estrada da Boiúna 1730, Boiúna, Jacarepaguá, Rio de Janeiro-RJ - www.lardefreiluiz.org.br; Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo Unifesp - cepe@cepebr.org; Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia IIPC - www.iipc.org - contato.site@iipc.org.br.

 

Índice:

- clique aqui para voltar para a página índice de vídeos -