Espirituialidades e Sociedade



Notícias:

>   Lançamento do livro “Meu Pequeno Evangelho” em São Paulo

 

 

 

13/12/2014

Texto e fotos: Ismael Gobbo

O concorridíssimo evento aconteceu na tarde deste sábado, 13/12/2014, na Livraria Cultura – Conjunto Nacional, com presença de grande público.

Os autores de “Meu Pequeno Evangelho”, Luis Hu Rivas e o famoso cartunista Mauricio de Sousa estiveram presentes em sessão de autógrafos atendendo a todos com muita simpatia.

A mídia e representantes de vários órgãos do movimento espírita prestigiaram o lançamento do livro que ainda na fase de lançamento já se encontra na 3ª. edição.

Luis Hu Rivas nas várias entrevistas concedidas ressaltou o sucesso do livro e informou que já se prepara para novos trabalhos que possibilitem a divulgação da mensagem cristã e espírita no formato diferenciado, agradável e divertido, como esse da Turma da Mônica.


Luis Hu Rivas e Mauricio de Sousa no lançamento de “Meu Pequeno Evangelho”
em São Paulo. Foto Ismael Gobbo


Luis Hu Rivas no lançamento de “Meu Pequeno Evangelho” concedendo entrevista a Rubens Toledo da USE-São Paulo. Foto Ismael Gobbo


Luis Hu e Mauricio de Sousa atendendo adultos e crianças no lançamento
do livro “Meu Pequeno Evangelho”, em São Paulo. Foto Ismael Gobbo


Tiago Essado, Presidente da AJE- Associação Jurídico Espírita-Brasil, com a esposa, participando do lançamento do livro “Meu Pequeno Evangelho”. Foto Ismael Gobbo

 

Abaixo republicamos entrevista de Mauricio de Sousa falando da obra e também áudio de entrevista com Luis Hu no mesmo sentido.

Entrevista Completa!

Mauricio de Sousa fala sobre o livro "Meu Pequeno Evangelho".

 

1. Qual é a importância em fazer um livro, que fala do Evangelho, com a Turma da Monica?
R - Todos os ensinamentos que levam à reflexão da paz e amor são importantes em nossas histórias. A Turma da Mônica sempre traz esses conceitos de solidariedade, de saber conviver com os diferentes e do respeito ao ser humano, independentemente de suas crenças, etnias ou origens. Em primeira análise, nossas historias são um lazer, uma diversão, mas sempre com muita informação, sobre os mais diversos temas. Daí a importância de estar em projetos como esse do Evangelho.

2. A Mônica é mais conhecida pela sua força, mas também pelo amor que demonstra ter a seus pais e amigos. Você acha que uma obra que reforça temas como amor aos pais, amor aos animais, caridade e perdão, retratados no livro, possa coroar todos esses anos?
R - Como já disse, temos a certeza de que a criança gosta de se divertir. E se for aprendendo, melhor ainda. Sabemos que nossas histórias informam e formam nossos leitores. E vamos continuar assim.

3. Com os personagens mais conhecidos do Brasil, a obra ensina a importância de praticar o bem e a caridade, de respeitar o próximo e a natureza, de se conhecer e de compartilhar seus "tesouros". Você acredita que falar isso para as crianças de hoje, poderá contribuir na formação um mundo melhor?
R - Sem dúvida. A criança tem curiosidade de saber sobre o mundo em que vivemos. Nós, adultos, temos a missão de entregar essas informações para elas. Cabe a nós poder passar o que elas podem fazer para melhorar, ou consertar, o que fizemos no nosso mundo.

4. Em uma das histórias da Magali, você a apresenta em uma de suas vidas passadas, em um momento que revelaria o motivo pelo qual ela tem essa obsessão por comida. De onde você pegou essa inspiração?
R - Em histórias em quadrinhos, temos uma licença poética que nos dá centenas de possibilidades. Um personagem pode ter superpoderes ou invadir o passado em busca de aventura. E não fechamos nenhuma porta a esses conhecimentos da própria alma, que é mais livre ainda quando se é criança.

5. Temas relacionados à morte, reencarnação e ressurreição geralmente são tratados nas histórias do Penadinho e da Dona Morte. O que o influenciou na criação desses personagens?
R - A Turma do Penadinho veio para desconstruir o medo da morte e do desconhecido. Pelo humor, podemos passar uma visão mais positiva, que é valorizar a vida em detrimento da morte.

6. No livro Meu Pequeno Evangelho a Turma da Mônica recebe a visita de André, um primo do Seu Antenor (o pai do Cascão) que é espírita. Em meio à curiosidade das crianças, ele apresenta conceitos do Evangelho que todos podem usar no dia a dia, independentemente da religião que praticam. Como você observa isso?
R - Como a Turminha é formada por crianças, que estão na fase de aprendizado de tudo na vida, precisávamos de um interlocutor que passasse pra elas as informações corretas. De uma maneira suave, lúdica e sem jamais impor qualquer preceito religioso.

7. A MSP já tem lançado livros com editoras católicas. Este é o primeiro com uma editora espírita. Como a MSP observa isso?
R - Nossa visão de vida é a que permeia todas as religiões. Lidamos com leitores que têm crenças diferentes, mas todos estão juntos pela paz e a solidariedade entre os povos. Portanto, não há problema algum de um católico ler um livro espírita ou vice-versa. Conhecer as outras religiões é um ganho para quem quer viver em sociedade e conhecer seu próximo, independentemente da religião que segue.

8. Em Meu Pequeno Evangelho estão reunidos todos os ensinamentos de Jesus contidos no Evangelho segundo o espiritismo. Você tem tido algum contato com os ensinos ou livros espíritas?
R - Sou católico e também um homem de comunicação. Tenho obrigação de ter conhecimento de tudo o que vou comunicar aos leitores. Tenho que ter informações pesquisadas em fontes de credibilidade, para que não informe errado às pessoas. No Brasil, temos não só livros como pessoas na religião espírita que transcendem as fronteiras da própria religião, como o Chico Xavier, por exemplo. Aprendi a respeitar todas as religiões na rua da minha infância, em Mogi das Cruzes onde havia famílias de vários cantos do mundo. Árabes, japoneses, italianos... e cada qual com sua religião. Nós, crianças, brincávamos todos juntos. E em alguns momentos aproveitávamos as portas sempre abertas das casas para entrarmos e tomarmos um suco, comermos um pedaço de bolo. Exercitávamos a cordialidade, o companheirismos, o respeito pelo ser humano, as crenças de cada um. Sem preconceitos de raça, cor ou religião.

9. Qual é a expectativa que se espera de um livro que mostra os preceitos do Espiritismo aplicados a pessoas de qualquer crença?
R - A mesma de quando entramos no projeto: entendemos que com palavras podemos levar ensinamentos de paz e amor a todos os leitores de qualquer crença.

10. Você poderia deixar uma mensagem destinada aos pais, que vão adquirir o livro Meu Pequeno Evangelho?
R - Pais que mostram a seus filhos um caminho do bem, independentemente da religião, são os melhores professores da vida. Um bom adulto é resultado direto da boa educação na infância.

11. Você poderia deixar uma mensagem destinada para as crianças, que vão ler o livro com os ensinamentos de Jesus?
R - Jesus foi um homem que mudou a história do mundo. Veio para dizer coisas que influenciam nossas vidas até hoje. Então é importante conhecer sua história, tomar conhecimento de suas mensagens.

Entrevista concedida por Mauricio de Sousa aos autores Ala Mitchell e Luis Hu Rivas.
Novembro/2014
https://www.facebook.com/meupequenoevangelho

 

__________________________________________

 

 

Entrevista em áudio com o trabalhador espírita LUIS HU RIVAS que respondeu as perguntas formuladas

ACESSE O SITE E CLIQUE NA ENTREVISTA:
http://www.luishu.com

 

Fonte:
http://www.noticiasespiritas.com.br/2014/DEZEMBRO/15-12-2014.htm
https://www.facebook.com/meupequenoevangelho

 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações