Espirituialidades e Sociedade



Notícias:

>    Seminário com Divaldo Pereira Franco em Araras, SP

 

 

 

29/11/2014

Texto: Júlio Zacarchenco
Fotos: Sandra Patrocínio/Edgard Patrocínio

TEMA: A PSICOLOGIA DO PERDÃO


No último domingo, 16/11/2014, às 9h, foi realizado um seminário com o médium e orador espírita Divaldo Pereira Franco, na cidade de Araras/SP. O público de 800 pessoas lotou o salão do “Sayão Futebol Clube”. O seminário teve como tema “A Psicologia do Perdão” e foi desenvolvido em 3 módulos, com 2 intervalos.

Na entrada, cada participante recebeu 2 livros espíritas. A prece foi proferida pelo Sr. Waldyr Beira Filho e, na sequência, Dr. Miguel de Jesus Sardano apresentou o conferencista, sendo a este passada a palavra.

Divaldo Franco iniciou a 1a. parte do seminário narrando uma história extraída da obra “Perdão Radical”, de autoria do escritor Brian Zahnd, ocorrida durante o genocídio do povo armênio, provocado pelos turcos otomanos, na guerra ocorrida entre 1915-1917, demonstrando a poderosa força de transformação da mensagem de Jesus, quando bem compreendida e vivida, despertando o verdadeiro Amor em nós, e que levou uma jovem armênia a perdoar radical e incondicionalmente o algoz que a havia desventurado e exterminado sua família impiedosamente. O perdão, conforme fora explicado, é a mais legítima forma de manifestação do Amor e de encontro consigo mesmo, verdadeiro recurso psicoterapêutico para a saúde integral; do ponto de vista psicológico, nada tem a ver com o esquecimento da ofensa (interpretação teológica); é manter-se em paz ante à violência externa, naturalmente que sem conivir com o mal, e agindo digna e caridosamente antes os ofensores, nunca devolvendo o mal com o mal.

Divaldo ressaltou o valor terapêutico da mensagem das bem-aventuranças e analisou a proposta do Evangelho, revivida em sua pureza pelo Espiritismo, sobre o amor e o perdão, sobre a necessidade de a criatura humana vencer as próprias más inclinações e de ser mais tolerante e compreensiva para com as imperfeições alheias, tanto quanto gostaria de receber tolerância e compreensão para as suas próprias faltas.

Foi também analisado o pensamento dos psiquiatras Viktor Frankl e Carl Gustav Jung e do psicanalista James Hollis, destacando-se a necessidade premente de o ser humano realizar a viagem interior para encontrar um sentido existencial profundo para si, eliminando suas culpas e aprendendo a servir e a amar o seu semelhante.

Na segunda parte do seminário, Divaldo enfocou o tópico do auto-perdão, afirmando que a misericórdia de Deus é infinita, sempre nos ensejando oportunidades novas de auto-reabilitação e, que, por isso mesmo, devemos também nos perdoar e nos dar uma segunda chance, assumindo a responsabilidade pelos nossos equívocos e procurando corrigir as nossas imperfeições, mas nunca carregando culpas.

Foi demonstrada a perfeita concordância entre a proposta psicoterapêutica da Dra. Elisabeth Lukas e o Espiritismo, quando ela recomenda aos indivíduos reservar alguns minutos diários para a sua transcendência, para conversar com a sua consciência.

No último módulo, Divaldo concluiu o seminário analisando o estudo do Dr. John Watson sobre as 3 primeiras emoções do ser humano, quais sejam, o medo, a ira e o amor, e relembrando que os espíritas têm a mais sublime meta psicológica para a vida, a imortalidade. A mensagem do perdão e da paz foi encerrada com a declamação do Poema da Gratidão, de autoria do Espírito Amélia Rodrigues.



 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações