Espirituialidades e Sociedade



Notícias:

Conheçam o trabalho da pesquisadora de Barcelona, Andrea Graus. Pesquisas histórica sobre mediunidade na Espanha e na França

 

 

 

15/08/2014


O professor Jáder Sampaio nos apresenta os trabalhos desta pesquisadora espanhola, o que traz novo alento à compreensão dos fenomenos e a divulgação do Espiritismo.

______________________

Jáder Sampaio

 

Pesquisas histórica sobre mediunidade na Espanha e na França

Ela tem publicações sobre o movimento espírita e a hipnose na Espanha do final do século XIX, resenha sobre uma dissertação que trata da mediunidade na frança, de Kardec aos surrealistas (1930) e um artigo no qual recupera o debate na Espanha entre espíritas, médicos e o astrônomo Josep Comas, a respeito da mediunidade.


Andrea Graus


Essa bela jovem é a Profa. Andrea Graus, da Universidade Autónoma de Barcelona. Esbarrei em seu trabalho por acaso com a divulgação de um artigo cuja tradução livre do título seria: Hipnose na Espanha (1888-1905): Do espetáculo ao tratamento da mediunidade. Neste trabalho ela recupera a introdução da hipnose na Espanha por espíritas, que fizeram uma clínica filantrópica usando esta técnica. Ela conclui que a clínica foi efetiva “na promoção do uso da hipnoterapia, entre os médicos, como prática clínica, e também como tratamento médico para os pacientes das classes menos favorecidas da sociedade espanhola”.

Infelizmente ainda não consegui o artigo completo, apenas o resumo. Qual não foi minha surpresa quando encontrei no currículo dela outras publicações sobre o espiritismo, incluindo um artigo comentando a dissertação de Alexandra Bacopoulos-Viau, cuja tradução do título ficaria: “Escrevendo a mente. Escrita automática na França, 1937-1930.
http://dissertationreviews.org/archives/5494


Neste trabalho, Andrea nos apresenta um texto cuja narrativa começa com Allan Kardec, passa pela famosa médium Hélène Smith, estudada por Theodore Flournoy e culmina com o uso da técnica da escrita automática pelos poetas surrealistas franceses.


A musa da escrita automática, do livro A Revolução Surrealista, obtido do artigo de Graus

Segundo Graus, Bacopoulos focaliza seu trabalho em André Breton e nas mulheres escritoras deste grupo. Ela entende que houve uma transformação da concepção das médiuns como histéricas (como Flournoy entendia o fenômeno de Hélène Smith) ou doentes mentais em escritoras do inconsciente.

Ela tem também um capítulo de livro intitulado “Duplos ou espíritos? As teorias do desdobramento ante o espiritismo na Espanha dos princípios do século XX”. Neste trabalho ela expõe dois casos, o da médium Teresa Esquius, estudada pelo médico Víctor Melcior, e o da médium Carmen Domínguez, cujas faculdades foram objeto de debate entre o astrônomo Josep Comas e o espírita Jacint Fornaguera.
- link -


Ver o espiritismo francês e espanhol sendo desenterrado por uma nova geração de pesquisadores é um alento, não importa que posições eles venham a adotar com relação ao entendimento dos fenômenos.

Desejo sucesso e um futuro prolífico à Profa. Andrea.


Fonte:
http://espiritismocomentado.blogspot.com.br/2014/08/pesquisas-historicas-sobre-mediunidade.html

>>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site