Espirituialidades e Sociedade



Notícias:

Casa de David - "Samba para Todos" inclui jovens e adultos com deficiência intelectual em São Paulo

 

 

 

06/03/2014


A batucada começa na quadra. Todos estão uniformizados. Camisetas pretas com nome da organização, calças e sapatos brancos. Primeiro os tambores maiores começam a fazer barulho, que são seguidos pelos menores e chocalhos. E os músicos são internos da Casa de David, uma instituição filantrópica sem fins lucrativos, que atende crianças e adultos com deficiência intelectual e autistas com atendimento médico especializado. São integrantes do projeto Samba para Todos.

Atualmente a entidade atende 330 pessoas, sendo 300 pessoas com deficiência intelectual e 30 autistas. Realiza atendimento asilar, com assistidos internos. Possui um departamento médico com atendimento 24 horas por 365 dias por ano, com enfermagem, odontologia, psicologia, fisioterapia, ludoterapia, entre outros tratamentos.

Segundo André Carvalho Rodriguez, dentista, especialista em cirurgia bocumaxilofacial e um dos voluntários da organização, foi convidado por Roberto Coelho Atihé, empresário do ensino de idiomas e de shows, para ensinar aos atendidos da organização a tocarem. Após dois meses de ensaio e atividades recreativas com os instrumentos, a dupla decidiu dividir em dois grupos, segundo as habilidades: um seria mais voltado para recreação sambística, aos pacientes mais comprometidos, e Bateria Superação, aos que apresentaram maior habilidade rítmica.

Atualmente são cerca de 15 pessoas integrantes da bateria, em que a idade varia entre 23 e 48 anos de idade. Todos possuem uma deficiência intelectual leve e moderada, apenas duas pessoas têm deficiência auditiva e baixa visão.


Os batuqueiros

Fabiana de Souza, 48 anos, está desde o início do projeto. “Fico arrepiada quando toco na bateria e me emociona”, afirmou. Ela confessa ainda que gosta da ideia de tocar samba na caixinha e no tambor. É fã da Gaviões da Fiel e dos desfiles das escolas de samba. Costuma até levantar mais tarde para acompanhar toda a programação e acompanhar todos os desfiles na televisão. Também participa do grupo de dança com aulas de tango e samba. Às quintas participa da aula de yoga.

Já o jovem Fernando Amaral, 23 anos, sempre tocou chocalho desde o começo. “Eu me sinto refletido na bateria”, comentou. Também gosta do carnaval e das escolas de samba. Participa das aulas de yoga e já se apresentou no festival de dança da entidade. “Quando toco, penso muito na fanfarra”.

Outra integrante da parte do chocalho, Gilmara Alves de Oliveira, 24 anos, também está desde o início do grupo e disse que começou no grupo de recreação até dominar bem o instrumento e conseguir ingressar no mais avançado. Antes eu tocava surdo na fanfarra. “Gosto muito daqui, me distrai e é um exercício para meu braço”.

Gil, como é conhecida pelos assistidos da organização, também fazia ballet e yoga. Trabalha na lavanderia e ajuda na separação de roupas, atender os telefonemas e até na confecção de fraldas. A entidade possui um espaço destinado para a produção de fraldas dos próprios assistidos que usam isso no dia a dia.


Trabalho voluntário

Desde jovem André sempre foi fã de samba e participava de bloquinhos. Desde o final de 2012, está trabalhando voluntariamente no projeto Samba para todos.

Os instrumentos foram doados e inicialmente foram distribuídos aos integrantes para terem familiaridade com cada um deles. “Mesmo com dificuldade na coordenação motora, muitos participaram no começo, era uma bagunça geral e aos poucos fomos observando aqueles que possuíam mais facilidade em segurar o instrumento. Isso foi um processo natural, de aproximadamente dois meses, quando decidimos dividir o grupo para os ensaios técnicos”, lembra-se. Atualmente o ensaio técnico ocorre no auditório da organização com os 15 integrantes e 50 estão na atividade de recreação, todos os sábados na parte da manhã.

André comentou que os próprios educadorese enfermeiros elogiam o projeto por influenciar no comportamento dos assistidos, no desenvolvimento de habilidades e até na parte psicomotora, já que ficam mais calmos e até mais concentrados nas atividades diárias.

O grupo já se apresentou a outras organizações. “Não há um plano traçado para o desenvolvimento dessa bateria. Fizemos duas grandes apresentações: festival de dança e uma feira internacional do terceiro setor, a ONGBrasil 2013. Mas outras organizações estão gostando do nosso trabalho e pedindo nossas apresentações em outros espaços. Para isso, precisamos buscar patrocínio”.

Acostumado com atendimento odontológico no dia a dia, André revela que esse trabalho voluntário é importante para ele. Fica emocionado com a superação de cada um do grupo. “Colaboro com quem precisa. Para mim, isso é um pequeno esforço e para eles é uma grande busca. É muito bom ter o reconhecimento deles, ganhar uma abraço e poder ajudá-los”.

Serviço:

Casa de David
Rodovia Fernão Dias, km 82, São Paulo – SP
tel. (11) 2453-6600
E-mail: doacao@casadedavid.org.br
Site: www.casadedavid.org.br

Fonte: http://www.setor3.com.br/

________________________

"SAMBA PARA TODOS": PROJETO FORMA BATERIA DE ESCOLA DE SAMBA COM DEFICIENTES INTELECTUAIS

do site da própria Casa de David / Casa de David - RP

A música está presente em diversas situações da vida humana, sendo uma das formas de linguagem que mais expressam sentimentos, sensações e pensamentos. Quando a música é levada a pacientes com deficiência intelectual gera resultados importantes como estimulação psicomotora, qualidade de vida, autoestima e recreação. Pensando nos benefícios que a música proporciona, dois voluntários da instituição Casa de David criaram um desafio: montar uma bateria de escola de samba formada exclusivamente por pacientes com deficiência intelectual e com deficiência física associada.

Roberto Atihé, empresário do ensino de idiomas e de shows e André Rodriguez, dentista, ambos amantes e atuantes no carnaval de São Paulo, buscaram com amigos do samba doações de instrumentos usados e começaram a ensinar um grupo pequeno de pacientes. No mesmo dia o grupo aumentou e decidiram dividi-los de acordo com as habilidades em 2 grupos: Recreação Sambística para os pacientes mais comprometidos e Bateria Superação para os que apresentaram maior habilidade rítmica.

Convidado por Roberto, o Músico e Diretor de Bateria Raphael Moreira assumiu o comando do segundo grupo e em apenas 10 aulas os pacientes da Bateria Superação foram convidados para diversas apresentações, dentre elas um Festival de Dança e uma feira internacional de terceiro setor, a OngBrasil. Nesta ultima estavam presentes representantes da escola de samba Gaviões da Fiel que ficaram impressionados. Outro nome do mundo do samba que conheceu o projeto foi a cantora Leci Brandão e também ficou impressionada e fez questão de cantar junto com os assistidos.

Dra Cleize Bellotto, coordenadora da Casa de David, afirma que o projeto já é um sucesso pois, os assistidos apresentam melhoras consideráveis em aspectos da saúde mental, corporal e social: “ Apesar de todas as dificuldades, eles conseguem se superar a cada dia. O projeto melhorou a concentração, o espírito de equipe e até mesmo diminuiu surtos e estereotipias. A assistida Angélica, por exemplo, que continuamente tinha surtos e depressão, teve a autoestima elevada, passou a se relacionar melhor com os colegas e raramente tem surtos.”

Roberto ressalta que a grande mudança, na verdade, ocorre em quem assiste “em todas as apresentações vimos que o que essa turma consegue extrair de sorrisos e emoção, me faz ter a certeza de que estamos no caminho certo”. Ele também diz que o desafio hoje é captar patrocinadores para melhorar os instrumentos e o figurino e assim realizarem mais apresentações incluindo mais assistidos. Já a assistida Fabiana de Souza sonha alto “quero uma escola de samba toda da Casa de David para tocar lá no Sambodromo. Todo mundo vai saber que a gente também consegue fazer samba.”

As aulas do projeto acontecem todos os sábados, na instituição que fica localizada na Rodovia Fernão Dias, km 82 São Paulo/SP.
Para mais informações acesse: www.casadedavid.org.br ou ligue 2453-6600.

Fonte: http://www.casadedavid.org.br/blog/?p=3114 / http://www.casadedavid.org.br/blog

_____________________________

 

Vejam o vídeo:

"Leci Brandão e projeto Samba para Todos Casa de David"

Nesta segunda-feira, 09/12/2013, a Deputada Estadual e Cantora Leci Brandão visitou a Casa de David e foi homenageada pela indicação de emenda parlamentar que garantirá a construção de parte de uma academia adaptada na instituição.

Leci também conheceu o projeto "Samba para Todos" que proporciona aulas de instrumentos de percussão de Bateria de Escola de Samba para os assistidos. Coordenado pelos voluntários Roberto Atihé, André Rodriguez e pelo Mestre de Bateria Raphael Moreira, o projeto vem conquistando resultados expressivos e arrancou aplausos da sambista "estou extremamente emocionada. Todas as pessoas deveriam assistir esse espetáculo. Quero dizer que em um mundo onde qualquer pessoa pode ser chamada de celebridade por coisas tão fúteis, eu venho aqui dizer que vocês são verdadeiras celebridades."

Em retribuição ao carinho, ela pediu que a bateria a acompanhasse e cantou seu sucesso "Zé do Caroço", fazendo com que todos os presentes dançassem e se emocionassem ainda mais.


http://youtu.be/ph5KXxsU3tk

 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações