Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

José Ronaldo Pereira,
associado fundador da Abrarte concedeu entrevista

 

 

 

11/06/2012

José Ronaldo Pereira, associado fundador da Abrarte - Associação Brasileira de Artistas Espíritas concedeu entrevista ao Informativo virtual da Abrarte - www.abrarte.org.br

A arte é essencial para a compreensão integral do Espírito, complementando a tríade filosofia, religião e ciência

 

José Ronaldo Pereira Jr. é natural de Cristina (MG), mas reside em Florianópolis desde 2002. É programador de computação, desempenhando suas funções no Laboratório de Informática da UFSC. Também faz curso de graduação em Educação Física. É membro do Núcleo Espírita de Artes (NEA) como secretário e ator; coordena o Setor de Artes da Federação Espírita Catarinense; também é membro do Departamento de Infância e Juventude da 1ª União Regional Espírita (Florianópolis-Ilha). É associado fundador da Abrarte, sendo membro do Conselho Doutrinário entre 2009 e 2011 e atualmente exerce a função de 2º Tesoureiro.

 

1. Como você começou seu trabalho com arte espírita?

No Núcleo Espírita de Artes! Em 2004, conheci o NEA durante o encontro regional de jovens espíritas, no Carnaval. Alguns jovens, eu incluso, foram ao NEA no primeiro domingo pós-carnaval. De lá pra cá, não saí mais.

2. Como você define a arte espírita?

Não defino. Mas tenho para mim um conceito de Arte Espírita que me norteia. Penso na Arte Espírita como uma dimensão do conhecimento e do Espírito. É essencial para a compreensão integral do Espírito, complementando, em meu ponto de vista, a tríade Filosofia, Religião e Ciência.

3. Fale um pouco sobre o trabalho do NEA, que foi um dos primeiros grupos artísticos espíritas brasileiros a se institucionalizar.

O NEA completou neste mês de maio, no último dia 13, 24 anos. É uma instituição filiada à Federação Espírita Catarinense e por isso participa ativamente do movimento espírita estadual, conforme preconiza um dos objetivos da instituição constantes de seu Estatuto. Seu trabalho hoje se constrói em cima de dois grupos artísticos: música e teatro, os quais mantém a maioria dos trabalhos que o NEA faz hoje. Para respaldar estes grupos artísticos, o NEA conta com uma área de estudos da Doutrina Espírita, uma área de assistência social e uma equipe de mídia. Com essa estrutura, administrada por uma diretoria de seis pessoas e constituída por aproximadamente 30 participantes, dos quais 15 associados, o NEA desenvolve trabalhos para a população em geral, apresentando em espaços públicos e laicos, bem como para os espíritas, seja na apresentação artística na casa espírita, seja no oferecimento de oficinas para trabalhadores, seja promovendo eventos de arte espírita em Florianópolis e região metropolitana.

4. Sendo o NEA uma instituição jurídica, ele funciona como um centro espírita ou de forma diferente?

O NEA não é um centro espírita comum. Se posso dizer assim, é um centro espírita especializado. O fato de não termos uma sede própria nos diferencia bastante dos centros espíritas, principalmente em relação a atividades desenvolvidas e horários de funcionamento. Desenvolvemos nosso trabalho numa casa espírita, a Associação Espírita Fé e Caridade, que nos cede o seu espaço aos domingos, desde 1988, sem nunca ter criado nenhum empecilho, muito pelo contrário, sempre nos apoiando, pois se acostumou a não desenvolver nenhuma atividade aos domingos, e quando o faz, nos pede permissão. Com um tempo reduzido de encontro, o NEA prioriza o estudo da Doutrina Espírita e as reuniões de ensaios dos grupos artísticos, além de desenvolver ações na área assistencial. Ainda não desenvolvemos trabalhos de evangelização de infância e juventude, estudo e prática mediúnica, nem de atendimento espiritual. Quem sabe um dia, em nossa sede própria, funcionando a semana toda, o NEA possa desenvolver também estas áreas? É claro que o NEA não pode perder sua essência, que é de integrar Arte e Espiritismo.

5. Ao mesmo tempo que há benefícios para um grupo institucionalizar-se, há também vários compromissos que precisam ser atendidos perante os órgãos públicos. Quais as orientações podem ser dadas aos grupos que queiram tornar-se pessoas jurídicas?

Que tenham pessoas que conheçam as questões jurídicas e fiscais no grupo ou que tenham fácil acesso a elas. Muitas vezes, imersos em nossos trabalhos, acabamos por esquecer esses assuntos, que são compromissos legais, e perdemos prazos de declarações, como por exemplo, do imposto de renda, do FGTS, da Rais, etc., o que pode acarretar inclusive sermos multados. As atas de assembleias precisam ser registradas periodicamente, atualizando-se a composição da diretoria, para efeito de legitimação de seu representante legal (presidente), ante os órgãos públicos. Se, por exemplo, o grupo for comercializar algum tipo de produto e quiser vender em grande escala, vai precisar ter inscrição estadual na Secretaria de Estado da Fazenda, o que implica numa série de outras exigências legais. E por aí vai.

6. Um dos eventos realizados pelo NEA é o Festival de Teatro Espírita. Poderia falar sobre esse projeto?

O FETEF - Festival de Teatro Espírita de Florianópolis - é um evento realizado de dois em dois anos, que busca o intercâmbio e a troca de informações e experiências entre grupos espíritas de teatro de todo o Brasil, mesclando apresentações teatrais com oficinas ou estudos sobre arte espírita. Realizado pela primeira vez em 2003, terá no ano que vem a sua quinta edição (em 2007 não houve FETEF). Na forma de mostra de teatro, os grupos participantes são convidados pela Diretoria e a apresentação conta com uma banca de debatedores que, ao final de cada espetáculo, dá feedbacks sobre o trabalho apresentado. Procura-se trazer debatedores diversificados, para que o grupo receba comentários em todas as áreas de sua apresentação: qualidade técnica e conteúdo da mensagem em consonância com a Doutrina Espírita. Este feedback é um dos objetivos centrais do Festival, uma vez que auxilia não apenas o melhoramento do grupo que se apresentou como também proporciona aprendizado a quem está assistindo. O FETEF também é uma oportunidade para o NEA estrear novos espetáculos. Isso faz com que haja um foco na produção de novas peças a cada dois anos. Além disso, o FETEF procura colocar a temática espírita em diálogo com a sociedade, buscando para isso a pauta em teatros de grande porte na região. Já participaram do FETEF, além do NEA, o grupo Gira-Teatro e a Trupe de Artistas da SEEDE, de Florianópolis; o Grupo Integrarte, de Curitiba; a Cia. Almas Claras, de Paranavaí; o grupo Lema [Grupo Leopoldo Machado de Teatro Espírita]; de Fortaleza; o grupo de teatro do Instituto Arte e Vida, de Franca; e a Cia. Laboro, de Belo Horizonte.

7. E o Concerto Espírita da Primavera?

O Concerto Espírita da Primavera foi realizado pela primeira vez em 1997. Inicialmente era um evento anual, mas depois passou a ser bienal, partir do momento em que criamos o FETEF, alternando-se assim os dois eventos. O Concerto tem um objetivo idêntico ao do festival de teatro, que é o de congregar os músicos e grupos musicais espíritas da região de Florianópolis e proporcionar oficinas e/ou estudos, troca de experiências, além de proporcionar ao público momentos sublimes de apresentações musicais. Este ano, o Concerto entra em sua 12ª edição e terá a participação especial do maestro Paulo Rowlands, que trabalha atualmente no GAN, de Goiânia. Muitos músicos e grupos de Florianópolis e região já participaram, além de companheiros de Blumenau e Criciúma. E na condição de convidados de outros estados do Brasil, já tivemos as participações especiais em nosso Concerto primaveril de Marielza Tiscate, Ale Azumma, Banda Alma Sonora, Moacyr Camargo e do GAN.

8. Como está o movimento artístico espírita em Santa Catarina?

Vai muito bem, obrigado! No âmbito federativo, a FEC instituiu o Setor de Artes, do qual participo como Diretor. Este setor está vinculado à Vice-Presidência de Educação e Difusão. Em Blumenau, a 4ª URE, que é o órgão de unificação regional, tem um departamento de artes, com setores de cinema, música e teatro. É este departamento está dando respaldo e apoio institucional à Abrarte para a realização da I Mostra Abrarte Sul, que será realizada em setembro próximo, na cidade de Blumenau. Com Florianópolis e Blumenau estruturando este movimento, em breve pretendemos que cada região catarinense tenha um grupo de trabalhadores focados em estudar e difundir a arte espírita e sua importância na transformação do ser.

Associação Brasileira de Artistas Espíritas

Fundada em 08/06/2007 - Site: www.abrarte.org.br / Portal Arte Espírita: www.arteespirita.com.br

 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações


topo