Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

Área Q - o novo filme de Luis Eduardo Girão

 

 

 

06/04/2012



Área Q - o novo filme de Luis Eduardo Girão, estreia em breve com uma história cativante.



ÁREA Q tem uma história cativante, um drama vivido por um grande repórter, reconhecido no círculo jornalístico, que após o desaparecimento, sem explicação, do seu filho, passa a sofrer muito com a perda dele. Desesperado, prestes a perder tudo, encontra em uma matéria jornalistica que surge "por acaso" no Brasil, a possibilidade de encontrar a verdade sobre o desaparecimento do seu filho. Descobre que é escolhido para um contato, que provoca mudanças profundas em suas crenças, encontra respostas e o caminho da sua redenção.

Com certeza fará o público pensar sobre as nossas escolhas, as consequencias dos nossos atos com o meio ambiente e com os seres do planeta. Fortalece a mensagem do Evangelho de Jesus, que jamais estaremos desamparados, nas muitas moradas que existem na Casa do Pai e que estamos sendo preparados para a chegada de espiritos mais elevados que auxiliarão a nossa evolução.

O longa-metragem não é um filme classificado como espírita, mas revela princípios da Doutrina Espírita através da sétima arte. Utilizando-se de uma boa dose de licença poética, faz refletir sobre a vida extrafísica, fala da emancipação da alma durante o sonho, que não estamos sozinhos no Universo, da transição planetária, em defesa da vida desde a concepção e a preservação do meio ambiente. A reencarnação é abordada de forma muito direta e a chamada " Há muitas moradas na Casa do meu Pai" é um alerta nesse momento de Transição e que devemos cuidar melhor da nossa Morada.

A Mundo Maior da Fundação espírita André Luiz é Co-produtora, pois está auxiliando a divulgação em toda a sua mídia.

 

“Área Q” é consagrado pelo público na abertura do II Festival de Cinema Transcendental


Um filme humanista, de valores. Um argumento original na história do cinema brasileiro. Representante de um gênero pouquíssimo explorado na cinematografia do país. Enredo que, por trás das aparições de supostos OVNI'S nas cidades de Quixadá e Quixeramobim, no interior do Ceará, traz uma mensagem positiva, uma reflexão sobre a nossa atuação no planeta e um chamado para intensificarmos ainda mais a necessidade de mudança e envolvimento.

Foi isso que o diretor Gerson Sanginitto, o ator Murilo Rosa e o produtor Luís Eduardo Girão defenderam na entrevista coletiva do filme “Área Q”, que abriu o II Festival de Cinema Transcendetal numa lotada sala Martins Penna do Teatro Nacional, em Brasília. Já no hall de entrada, a expectativa e a curiosidade do público eram visíveis. E após as quase duas horas de projeção sucederam-se palmas entusiasmadas e gestos de ovação pouco comuns, comprovando que o objetivo da equipe foi alcançado.

Co-produção Brasil/EUA, “Área Q” impressionou pela qualidade técnica acima da média, pela química entre os atores principais Isaiah Washington (da série Greys' Anatomy e protagonistas de diversos filmes importantes nos EUA), Murilo Rosa, Tânia Khalil e Ricardo Conti. Misturando drama, comédia e ficção, “Área Q” também coloca a própria paisagem única das duas cidades, grandiosas e misteriosas, como um personagem da trama. Os panoramas sobre as montanhas de Quixadá e Quixeramobim, fundamentais no desenvolver da história, foram favorecidos pelo uso de câmeras Panavision, uma das melhores do mundo.

Para Sanginitto, o filme carrega bastante simbologia. Nas locações, nos nomes dos personagem e em cada detalhe. Destacando o cuidado com o aspecto técnico, o acabamento e o próprio trato com os atores, que diferenciam a produção.

Murilo Rosa falou sobre sua experiência no set de filmagem:

“Uma semelhança entre o meu personagem e as pessoas que eu conheci lá é que são pessoas evoluídas. Evolução não tem a ver com dinheiro, com poder. Tem a ver com pureza, com valores. E no interior, de todo o Brasil encontramos essas pessoas. Gente que não está contaminada pelo excesso de informação que temos na metrópole. E foi um laboratório pra mim, para um personagem que precisava dessa pureza”.

Luís Eduardo Girão, diretor da ONG Estação Luz e co-produtor do filme, completa:

“é uma mensagem de transição planetária, de cultura de paz, de renovação, um filme que é muito deslocado de tudo que já fizemos até hoje pela abordagem. Então essa mensagem de renovação da vida e respeito ao meio ambiente é nova nos filmes que falam de OVNI'S. Com exceção de alguns filmes de Steven Spielberg, esse é um viés único no mundo”.

Segundo Girão, a escolha de Brasília para sediar o lançamento oficial de “Área Q” no Brasil – que estará nos cinemas no dia 13 de abril – e o próprio Festival de Cinema Transcendental se dá não apenas pela importância da cidade mas pelo grande histórico da região em relação a temas espiritualistas e a enorme presença de pessoas ligadas à área. A noite de abertura contou ainda com o belo show de Flávio Fonseca, renomado artista brasileiro.

 


Magali Bischoff
Mundo Maior Filmes
Marketing
Fone (11) 2283-0360 - R: 108


Produtor do longa "Chico Xavier", lança "Área Q"

(...) O longa é uma produção de Luis Eduardo Girão, o homem por trás da maioria dos filmes espíritas no Brasil.

Começou com "Bezerra de Menezes: O Diário de um Espírito" (2008), que, sem divulgação tradicional, arrecadou R$ 3,5 milhões.

No ano passado, "As Mães de Chico Xavier" e "O Filme dos Espíritos" renderam a bilheteria somada de R$ 7,8 milhões, colocando ambos entre os filmes mais vistos de 2011.

Girão agora entra no pantanoso terreno da ficção científica, gênero que pode virar uma comédia involuntária no Brasil caso não tenha bons efeitos especiais e roteiros certeiros.

"'Área Q' é um novo passo no cinema transcendental [filmes com mensagens espirituais]", diz o produtor cearense, que gastou R$ 3 milhões na obra.

"Todo filme sobre discos voadores, com exceção de longas de Spielberg, traz invasões e guerras. Este traz uma mensagem de paz e renovação."



O produtor cearense Luis Eduardo Girão,
que investe em filmes com mensagens "do bem" e reina nas bilheterias


A aposta neste "cinema do bem" é o trunfo de "Área Q". Com exceção de "Chico Xavier" (2010), produzido por Girão e dirigido por Daniel Filho, o gênero não é conhecido pela qualidade técnica. Mesmo assim, tornou-se à prova de crítica.

"Não agradamos aos críticos, mas temos público que vai ao cinema pela mensagem. É o nosso compromisso."

Agora ele tem de vender a produção protagonizada por um ator americano - Isaiah Washington. Na trama, um jornalista de Washington vem ao Ceará, após perder o filho, para escrever sobre discos voadores na região próxima às cidades de Quixadá e Quixeramobim.

"É um longa difícil de definir dentro do gênero. Ele é diferente, mas toca o coração", adianta Girão.

ÁREA Q
DIREÇÃO Gerson Sanginitto
PRODUÇÃO EUA
ONDE estreia 14 de abril, em circuito
CLASSIFICAÇÃO 14 anos

 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações


topo