Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

Cláudio Miranda Marins, Presidente da Associação Brasileira de Artistas Espíritas, concede entrevista

 

 



13/03/2012

Cláudio Miranda Marins é natural de Umuarama (PR), mas reside em Belo Horizonte desde 1987. Engenheiro eletricista, empresário da área de projetos de áudio, vídeo e automação residencial. Instrumentista, compositor e cantor na tarefa com músicas para Evangelização Infantil, colaborou com o Departamento de Infância e Juventude da União Espírita Mineira de 1997 a 2008. Dirigiu o Departamento de Comunicação Social Espírita da UEM entre 2008 e 2011, quando se desligou da função em virtude de sua eleição para a presidência da Abrarte, cargo que exercerá até junho de 2013. É associado da Abrarte desde maio de 2008.

 

1 - Como você começou seu trabalho com Arte Espírita?

Foi há 20 anos, tocando músicas espíritas nas salas de aula dos diversos ciclos da evangelização infantil, dentro da União Espírita Mineira. O tema das aulas era único para todos os ciclos. Eu selecionava uma música espírita, cuja temática fosse a mesma da aula, e passava de sala em sala, com meu violão, cantando, tocando e ensinando as músicas para os evangelizandos e evangelizadores. Eu tinha 5 minutos por sala. Era uma forma de reforçar o tema estudado, através da arte. Paralelamente a isso, eu e um grupo de amigos ficamos pesquisando e estudando sobre arte espírita durante um ano. Após este período de preparação, passei a integrar a equipe de qualificação do Departamento de Evangelização Infanto-Juvenil (DIJ) da União Espírita Mineira. Viajávamos quase todo final de semana, pelo estado de Minas Gerais, promovendo, junto aos trabalhadores dos centros espíritas, palestras, oficinas e seminários sobre arte espírita com foco na educação do ser. Além de levar o esclarecimento, aproveitávamos para ensinar músicas espíritas aos participantes e trazer conosco composições dos mesmos. Recebemos material farto. Posteriormente fizemos uma triagem deste material e passamos a divulgar estas músicas que havíamos selecionado, aumentando desta forma o repertório.

2 - Como você definiria a Arte Espírita?

É a arte que tem por finalidade contribuir para a melhoria espiritual do homem e o aperfeiçoamento da humanidade! Ressaltamos que é o mesmo objetivo do Espiritismo. Uma arte que se diz espírita e que não tenha este propósito não é verdadeiramente uma arte espírita.

3 - A Arte Espírita pode contribuir para uma transformação da sociedade?

Com certeza! A arte tem a capacidade de indução de sentimentos. A Arte Espírita tem um compromisso com as coisas nobres, belas e boas da vida! Ao ser apresentada para a sociedade, ela "imanta" em seus espectadores sentimentos elevados que irão auxiliar na construção do homem de bem e, por conseqüência, na conquista de uma sociedade mais justa e feliz!

4 - Quais serão as prioridades da Abrarte, na sua gestão?

A atual diretoria da ABRARTE já possui um plano de trabalho contendo 12 itens. Considero como prioritárias, devido ao alto impacto qualitativo e maior abrangência de benefícios que poderá provocar quando implantadas, três ações específicas. Primeiro, estabelecer o diagnóstico das reais necessidades e anseios dos artistas espíritas. Segundo, a validação da arte espírita junto ao movimento espírita, para que ela e o artista espírita possam ser devidamente valorizados e compreendidos. Isto está sendo realizado através da participação intensiva da Abrarte junto aos órgãos federativos do movimento espírita brasileiro. E terceiro, a disponibilização de material de qualificação sobre arte espírita. Já estamos trabalhando e em breve pretendemos lançar manuais e guias com o propósito de sensibilizar, esclarecer e orientar sobre a importância da arte espírita, os cuidados que o artista espírita deverá ter ao lidar com a arte espírita e como viabilizar grupos de arte espírita no centro espírita. Enxergamos como publico alvo deste processo os dirigentes e trabalhadores dos centros espíritas, os artistas espíritas e os dirigentes de federativas espíritas.

5 - Poderia falar sobre a importância da integração dos artistas espíritas em torno dos ideais da Abrarte?

Os ideais da Abrarte são os ideais de seus associados. A Abrarte é a reunião de um grupo de artistas espíritas (atualmente 157 associados) que têm ideais em comum. Estes ideais, quando trabalhados de forma integrada e estruturada, ganham força na realização e concretização de projetos. O grande papel da Abrarte é reunir elementos dispersos, concatená-los e auxiliá-los a estruturar o plano de ação que concretizará seus ideais. Quanto mais artistas espíritas estiverem integrados, afinados entre si e convivendo de forma harmoniosa, mais forte será este "feixe de varas".

6 - Uma mensagem aos artistas espíritas brasileiros.

Como estou em Minas Gerais, terra de Chico Xavier, a resposta a esta pergunta que me veio mente foi: “Disciplina, disciplina... e disciplina!” O belo e o bom que queremos promover com a arte espírita irá nos requerer estudo da Doutrina, estudo e prática do Evangelho de Jesus, estudo técnico da arte que nos propomos realizar e muita sabedoria para perceber que nós, artistas espíritas, é que estamos a serviço da arte espírita e não ela a nosso serviço. Lembrando que é necessário que Jesus sempre resplandeça mais do que nós! Desejo a todos os artistas espíritas fidelidade e sucesso na bela e grandiosa missão de expressar as Verdades Espirituais, através do meio mais belo que temos para sensibilizar o Espírito: a ARTE! Muito obrigado.



Fonte: Informativo virtual da Abrarte
/ Site: www.abrarte.org.br / Portal Arte Espírita: www.arteespirita.com.br

 

>>>   clique aqui para acessar a página principal de Notícias

>>>   clique aqui para voltar a página inicial do site

>>>   clique para ir direto para a primeira página de Artigos, Teses e Publicações


 

topo