Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

Curso de Preparação para Evangelizador Infantil 2011 reuniu 120 pessoas

Compartilhar


10/06/2011


Sem contar os amigos do plano espiritual, compareceram ao auditório da Fraternidade Espírita Irmão Glacus - Feig - aproximadamente 120 atuais e futuros evangelizadores da Fraternidade e de outras casas espíritas.

O segundo dia do Curso de Preparação para Evangelizador Infantil 2011 promovido com o objetivo de preparar evangelizadores para a semeadura da infância na seara de Jesus aconteceu no dia 27 de março das 8h às 12h50min.

 

Após a alegre recepção da coordenadora do Departamento de Evangelização Infantil, Sheila Coutinho, o coral da Mocidade Joanna de Ângelis cantou quatro músicas para harmonizar o ambiente. O hino à mentora da Evangelização, Meimei, foi entoado logo em seguida por todos os presentes de pé sendo introduzido pela Comissão de Música dos atuais Evangelizadores da Casa.

A primeira palestra intitulada “Psicologia Infantil à Luz da Doutrina” foi articulada por Rodrigo Ferreti. O palestrante introduziu com a história da criança órfã extraída do livro “Retratos de Nazaré”, de Cirinéia Iolanda Maffei, pelo espírito Léon Tólstoi. Segundo Ferreti, os evangelizadores devem estar preparados para o cuidado com crianças que foram abandonadas pelos pais, pois que elas sentem-se desamparadas, que não são amadas e se esforçam por chamar-nos a atenção. Com isso, solicitam provas de amor o tempo todo, fazem coisas terríveis testando os educadores para ver se mesmo assim essas pessoas tão importantes para elas continuam amando-as. A recomendação do palestrante nesses momentos é ter calma e brandura para raciocinar corretamente a solução imediata da situação.





O palestrante também explicou sobre crianças obsidiadas. Para diagnosticar o quadro, Ferreti apresentou alguns itens que podem indicar a presença de espíritos obsessores na infância: irritabilidade, agitação, depressão, pesadelos, falta de concentração, dificuldade nas relações sociais, agressividade, comportamentos excêntricos, acidentes, personalidade instável e dificuldades de aprendizagem. A terapêutica espírita é indicada em casos de obsessão: passe, água fluidificada, evangelização moral da criança, culto do evangelho no lar e informar o nome da criança para a reunião de desobsessão. Rodrigo Ferreti recomendou livros de Joanna de Ângelis para diferenciar transtornos psicológicos de obsessão.

Após a esclarecedora explicação de Ferreti, foi servido um lanche comunitário para alimentar as idéias dos atuais e futuros evangelizadores. Como item da Vivência na Evangelização, todos os presentes puderam participar de uma dinâmica sobre recursos didáticos. A coordenação distribuiu os 120 presentes em grupos de no máximo 10 pessoas. O tema, o objetivo da aula e a faixa etária das crianças eram sugeridos pela coordenação em pequenos pedaços de papel previamente preparados para a dinâmica. Cada grupo deveria escolher um ou mais recursos didáticos, eleger um líder para fazer a apresentação para todos explicando o motivo da escolha e como o recurso seria usado em sala de aula.

A segunda palestra foi proferida por Emerson Pedersoli: “Pedagogia Espírita na Prática da Evangelização”. O palestrante lembrou-nos de que a relação entre evangelizador e evangelizando é uma relação afetiva e que quando a instrução acontecer de forma automatizada não penetra no coração do evangelizando. É preciso passar segurança aos pequeninos, pois os desencarnados que acompanham cada criança lêem a alma do evangelizador, se sentirem o faro da insegurança começarão a testá-lo.

Embasado nos livros de Joanna de Ângelis e de Dora Incontri sobre pedagogia espírita, Pedersoli enumerou cinco condições mínimas para quem deseja se tornar um bom evangelizador. A primeira é o conhecimento da doutrina espírita, o estudo é fundamental para evitar a insegurança diante da fase questionadora das crianças. O palestrante inclusive citou uma frase do grande psicólogo Jean Piaget: “A criança tem a idade da pergunta que faz”. A dica é devolver a pergunta, pois é da resposta da criança que se obtém a melhor saída.

A segunda é ter noções de metodologia, ou seja, ter disciplina como no culto no lar. Com dia e horário para preparar, planejar e fazer o cronograma das aulas o evangelizador facilita o canal de acesso espiritual para receber as intuições. Como a função da evangelização também é levantar a auto-estima, acalmar e educar não só a criança, mas também seus obsessores, é importante ter criatividade para não dispersar a atenção do evangelizando e evitar o tédio gesticulando as músicas e vivificando as leituras com sonoplastias.

A terceira condição para se tornar um evangelizador de qualidade é ter noções de psicologia. É claro que não é preciso se tornar um psicólogo, mas estarmos ciente das fases da criança: idade do egocentrismo, dos porquês, da delação, etc. O palestrante indicou livros de Walter Barcelos e Walter de Oliveira que tratam a psicologia e pedagogia infantil espírita.

Como quarta condição, Pedersoli falou da boa moral. Não é preciso vencer todas as suas imperfeições para se tornar um evangelizador, mas é importante que o educador saiba que está tentando ser melhor a cada dia. A quinta e última condição mínima é o amor. Essa virtude é fundamental, mas sem as outras condições será impossível tornar-se um evangelizador de qualidade.

O evento arrecadou obras de literatura espírita infanto-juvenil no ato da inscrição. Esses livros serão doados às crianças assistidas da Casa na semana da criança em outubro. O próximo dia de curso acontecerá no domingo, 03 de abril.

Fonte: FEIG - Fraternidade Espírita Irmão Glacus
Rua Henrique Gorceix, nº 30 - Padre Eustáquio - Belo Horizonte - MG, Cep: 30.720-360
Tel./Fax: (31) 3411-9299 / Site: www.feig.org.br

- http://www.feig.org.br/content/curso-de-preparação-para-evangelizador-infantil-2011-0 -

 


>>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site

topo