Espiritualidade e Sociedade



Notícias :

>   Bezerra de Menezes, o filme


02/08/2008

 


CINEMA - o filme sobre Bezerra de Menezes traz reflexões sobre o Brasil na época do império

 

Considerado o primeiro longa metragem de época rodado no estado do Ceará, o filme “Bezerra de Menezes: o diário de um espírito” está concluído depois de passar dois anos em fase de elaboração. O longa, dirigido pelos cineastas cearenses Glauber Filho e Joe Pimentel, tendo em seu elenco nomes como Carlos Vereza – que interpreta o papel principal, Lúcio Mauro e Ana Rosa, será lançado nas salas de cinema de todo o Brasil no dia 29 de agosto, data de aniversário do cearense conhecido como o “Médico dos Pobres”, que estaria fazendo 167 anos. A produção do filme e a Fox Filmes do Brasil, distribuidora da produção no mercado nacional agendou a primeira exibição, a chamada ‘avant-première,’ em Natal no dia 13 de agosto, às 21h no Cinemark.

Poucos sabem, mas Bezerra de Menezes teve uma ligação forte com o Rio Grande do Norte. Suas viagens a Martins - região serrana do estado – eram tão freqüentes que ele chegou a substituir um professor de latim na cidade, ainda adolescente. Essa passagem está registrada no filme que foi finalizado em 35 mm e custou R$ 2,7 milhões de reais. Segundo Eduardo Girão, produtor do filme a obra traz fragmentos da memória do médico costurado com a memória política e social do Brasil na época do império. “É um filme que retrata não só a vida de Bezerra de Menezes como tem a preocupação de levar o espectador a reflexões maiores sobre o sentido da vida e sobre o futuro do Brasil”, contou Girão. Ele lembra também que durante as pesquisas para a elaboração do roteiro, Bezerra de Menezes escrevia sobre sua preocupação com a devastação da Amazônia. “Ele falava muito sobre a necessidade da preservação da Amazônia e com todo o meio ambiente. Ele foi um homem que viveu pelo menos 120 anos a frente do seu tempo”, disse, acrescentando que a obra faz uma fiel reconstituição de época para representar o Ceará e o Rio de Janeiro do Século XIX.

Um dos roteiristas do filme é Luciano Klein, biografo com a maior quantidade de livros publicados sobre Bezerra de Menezes. “Como profundo estudioso da vida de Menezes, Luciano já tinha um material vasto. O difícil foi conseguir colocar todo o material na obra”, conta Girão. A pesquisa do roteirista esteve o tempo todo aliada a uma extensa pesquisa iconográfica nos acervos mais importantes do país.

Além de médico, Bezerra de Menezes também se dividia entre a escrita de livros, principalmente romances como a obra “A casa mal assombrada” e o jornalismo. “Ele escreveu durante 10 anos no jornal “O Paiz” (na época se escrevia com z), com o pseudônimo de max. Como existia muito material documentado e também depoimentos, o projeto do filme inicialmente seria um documentário misturado à ficção, mas no decorrer das filmagens tudo foi dramatizado e os depoimentos serão disponibilizados no dvd.

A produção teve locações no Ceará, Pernambuco e Rio de Janeiro. “Conseguimos finalizar uma obra prima, tenho certeza. Vários acontecimentos contribuíram para que tudo saísse da melhor maneira possível ”, disse Girão. Um desses acontecimentos a que o produtor se refere, foi uma semana de gravações no Recife. “Não parava de chover e o ator Carlos Vereza teria que viajar. Passaram dois dias de chuvas e as previsões do tempo eram as piores possíveis. O adiamento das gravações acarretaria num prejuízo de R$ 30 mil reais. Até que Vereza teve a idéia de unir toda a equipe para uma oração. Foi quando a chuva parou e a gente gravou três seqüências. Quando terminamos, a chuva voltou forte”, lembra.

 

Sobre Bezerra de Menezes

A vida do médico começa em 1831 na localidade de Riacho do Sangue, Ceará. No universo sertanejo forjou seu caráter e aos dezoito anos inicia no Rio de Janeiro seus estudos de medicina. Na Capital da República foi um grande abolicionista e elegeu-se vereador e deputado em várias legislaturas. Porém, o trabalho anônimo em favor dos mais humildes foi que lhe trouxe o maior reconhecimento de seu povo, que o chamava Médico dos Pobres.

Sua trajetória foi marcada pelo amor e pela caridade. Seja como o político devotado às causas humanitárias ou como o médico conhecido por jamais negar socorro a quem batesse à sua porta. Um exemplo de homem que fez da sua vida um meio de servir ao próximo e à sua pátria.


>>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site

 

topo