Espiritualidade e Sociedade



Notícias :

>    Por que nomes próprios são difíceis de serem fornecidos em sessões de transe?


21/04/2008

 

Em 26 de julho de 1925, a Senhora Barrett, também conhecida por Dra. Florence Barrett, reitora da London School of Medicine para Mulheres, começou a receber mensagens de seu finado marido, Sir William Barrett (foto), que falecera em 26 de maio de 1925, aos 80 anos, através da mediunidade de Gladys Osborne Leonard, uma renomada médium londrina. Sir William dedicou quase 40 anos de sua vida como um professor de física na Royal College of Science em Dublin e foi nomeado cavaleiro em 1912 por seu trabalho científico, que incluía o desenvolvimento de uma liga de silicone e ferro conhecida como stalloy, usada no desenvolvimento comercial do telefone e transformadores; e por também fazer pesquisas pioneiras em visão entópica, o que levou a invenção do entopicópico e um novo optômetro. O senhor William também era um pesquisador psíquico quando vivo e auxiliou na formação da Society for Psychical Research (SPR) em 1882.

A senhora Barrett não era uma crédula e chorosa viúva. Ela apenas foi até a médium, Sra. Leonard, depois que um membro da SPR a disse que o marido dela havia se comunicado numa sessão recente com a médium. Quando a senhora Barrett ficou bem ciente sobre a reputação da Sra. Leonard como uma médium confiável, ela então prosseguiu cautelosamente. Como uma respeitada obstetra e integrante da Royal Society of Medicine, ela tinha sua própria reputação a zelar. Naquela primeira sessão em 26 de julho, Senhora Barrett recebeu algumas informações bem evidenciais - informações que ela assegurou não poderem ter sido conhecidas pela Sra. Leonard ou pelos pesquisadores - inclusive detalhes dos últimos momentos do senhor William em seu corpo físico e a menção de um problema na perna que ele havia experimentado logo antes de sua morte. Por 11 anos a senhora Barrett reuniu-se com a sra. Leonard um pouco todos os meses, e num livro de 1937, Personality Survives Death, ela publicou algumas das transcrições de suas sessões.

"Às vezes eu perco algumas lembranças sobre as coisas daqui", disse-lhe o senhor William numa sessão em 8 de fevereiro de 1927.

"Eu sei sobre isso em meu próprio estado, mas não aqui".

Ele continuou a comparar isto a ter um sonho no estado físico e explicou que quando ele volta para o mundo espiritual, depois de uma sessão, ele percebe que não conseguiu passar tudo o que desejava. Ele acrescenta que, quando nós morrermos, o subconsciente e o consciente se alinham, fazendo uma mente completa a qual conhece e se lembra de tudo. Porém, quando ele tinha que baixar sua vibração para se comunicar com ela [a médium], ele deixa o subconsciente para trás e passa contar apenas com aquilo que está na sua memória consciente. Ele disse que o subconsciente é alojado dentro do corpo etéreo.

"Existem duas vidas aqui: uma eu posso contar a respeito para você e você poderá entender, e a outra eu não posso contar sobre, até que você venha se juntar", disse Sir William a sua viúva.

Ela perguntou a ele qual vida era a mais elevada e ele respondeu que era a vida que ele não podia contar a ela.

"Eu não posso vir com e como o meu inteiro "Eu", eu não posso"; ele acrescentou dizendo que não pode fazer com o seu "Eu" da quarta dimensão o mesmo que faz com seu "Eu" da terceira dimensão. "É como medir uma terceira dimensão através de sua metragem ao quadrado no lugar de sua metragem cúbica".

A senhora Barrett ocasionalmente visitou diferentes médiuns além da sra. Leonard. Numa sessão, aparentemente com um clarividente, Sir William apresentou-se como "William" no lugar de "Will", como ela o conhecia. Ela suspeitou que não era ele. Numa sessão com a Sra. Leonard, em 5 de novembro de 1929, senhora Barrett perguntou a ele a respeito daquilo.

Sir William explicou o problema.

"Se você for a um médium que nos é desconhecido, eu posso fazer-me reconhecível a você, através deste médium, fornecendo uma impressão de meu caráter e de minha personalidade, meu trabalho na Terra e assim por diante," ele contou.

"Eles [os médiuns] podem ser sugestionáveis por impressões de pensamentos e de idéias; mas se eu quiser dizer, ‘eu sou Will', eu acho isto muito mais difícil do que lhe dar um estudo compreensivo de minha personalidade. ‘Eu sou Will' soa bem simples, mas você deve entender que neste caso a palavra ‘Will' se torna uma palavra deslocada. Se eu quisesse expressar uma idéia sobre meus interesses científicos eu poderia fazer isto de vinte modos diferentes. Eu poderia, provavelmente, começar a mostrar meus livros, depois fornecer impressões sobre a natureza do livro e assim por diante, até que eu tivesse construído uma impressão de meu próprio caráter, mas ‘eu sou Will' apresenta dificuldades".

O mesmo problema aparece com o nome dela quando ele a chamou de "Florrie" numa sessão, enquanto ele a chamava apenas de "Flo" quando vivo. Sir William explicou que ele não conseguia passar "Flo" através da médium.

Numa sessão de 1931, Sir William conseguia dar a sua viúva somente a letra "B" ao descrever o irmão dela, de Bristol, que recentemente falecera (o nome real não é apresentado no livro, então é obscuro sobre se "B" suporta o nome dele, do irmão, ou de Bristol). Ele disse a ela que estava ajudando ao irmão dela a se adaptar a nova realidade, dizendo que seu irmão continuava falando "mas você está morto, você está morto, você está morto", e que supunha que estava sonhando. Isso não persistiu após muitos outros parentes e amigos falecidos o saudarem; foi então que ele percebeu que estava "morto".

Em outra ocasião, Sir William tentou explicar que uma mensagem dele, partindo da médium Leonora Piper, dos EUA, alcançaria sua viúva. Porém, ele conseguia apenas fornecer "P" de "oversea" através da mente da médium. Isso até a mensagem ser entregue da sra. Piper, de Boston, a Senhora Barrett, a qual entendeu a referência.

"A frase real não pôde ser relacionada palavra por palavra, em algumas partes, como sendo a do próprio comunicador, mas sim como aquela do controle que estava operando através da médium", explicou a Senhora Barrett na introdução do livro.

O tempo todo, Sir William fornecia pedaços de informações pessoais para Senhora Barrett, de forma que ela soube que era ele. Por exemplo, numa sessão, ele contou a ela que a viu tirar um retrato da parede alguns dias passados. Havia informações muito pessoais que foram bem sucedidas, mas a Senhora Barrett não sentiu que deveria as relacionar no livro.

Sir William explicou que a habilidade de se comunicar entre planos dependia da habilidade do espírito comunicador reduzir sua vibração e da pessoa "viva" na Terra ascender sua vibração. Algumas pessoas podem ascender suas vibrações melhores que as outras e algumas delas são chamadas de médiuns. Sobre o assunto de vibração, Sir William disse que agora entendia a tão chamada ressurreição física de Cristo.

"Por viver numa vibração mais espiritual, ele poderia ascender às vibrações do corpo de forma que não existira nenhum corpo para perecer após a morte dele - ou como preferimos dizer, em sua transição", ele explicou.

A maior parte da comunicação veio de Feda, o controle espiritual da Sra. Leonard, à medida que Sir William freqüentemente lutava para abaixar suas vibrações, o que era necessário para Feda agir como um intermediário. Ocasionalmente, porém, Sir William conseguia reduzir suas vibrações e assim controlava diretamente a Sra. Leonard. Nestas ocasiões, a voz de Feda ficava alta, não parecia em nada com a voz da Sra. Leonard, o que dava a vez para a profunda voz de Sir William. Em várias ocasiões, quando parecia que Sir William estava muito emotivo, ele se intrometia em voz-direta (sua voz real sendo emanada de fora do corpo da médium). Em uma dessas ocasiões, Senhora Barrett o gravou dizendo "a vida é muito mais maravilhosa do que aquilo que eu posso agora dizer a você, além de qualquer coisa que eu esperava; ela excede todas as minhas expectativas".

Postado em blog por André Luís N. Soares
http://parapsi.blogspot.com/2008/04/por-que-nomes-prprios-so-difceis-de.html

 

Fonte original : Michael Tymn's Blog - Gaia Community (excerto)


>>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site

 

topo