Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

>    Dissertação de Mestrado da UNICAMP trata do livro Parnaso de Além Túmulo


17/12/2007

Alexandre Caroli Rocha defendeu dissertação de mestrado sobre o conhecido livro psicografado por Francisco Cândido Xavier: Parnaso de Além Túmulo.

 

Em sua dissertação se encontra uma vasta revisão sobre a produção mediúnica, a interferência de espíritos e médiuns no texto, a similitude do estilo literário ao lado de uma intenção retórica dos espíritos e muitas outras características próprias ao texto mediúnico de médiuns conhecidos como o próprio Chico, Yvonne Pereira e Divaldo Franco.

É uma dissertação que merece ser lida, porque traz mais uma contribuição lúcida a uma literatura geralmente esquecida pela Universidade Brasileira e paradoxalmente muito lida pelo público brasileiro de espíritas e simpatizantes.

Quem desejar ter acesso ao texto completo basta acessar a biblioteca de teses eletrônicas da UNICAMP no endereço http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000236698

 

Vejam a descrição da tese :

Descrição:

O livro de poemas mediúnicos Parnaso de além-túmulo, do médium mineiro Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier), composto por 259 poemas atribuídos a 56 poetas brasileiros e portugueses, é o objeto de estudo desta dissertação. A

intenção do trabalho é levantar algumas questões, do interesse da teoria literária, suscitadas por esse tipo de literatura, como a autoria, o pastiche, o estilo, os limites do literário. A dissertação é formada por três capítulos.

O primeiro trata do histórico das edições de Parnaso; dos poetas apresentados como os autores espirituais; dos conteúdos da antologia e das repercussões de Parnaso no meio espírita e na imprensa em geral.

O segundo capítulo é formado por cinco estudos que procuram verificar, a partir de algumas referências críticas, que tipos de pontos em comum existem entre poemas de Parnaso e a obra de autores a quem são atribuídos. Para essa análise, selecionei um corpus de cinco poetas: três portugueses, João de Deus, Antero de Quental e Guerra Junqueiro, e dois brasileiros, Cruz e Sousa e Augusto dos Anjos.

Os resultados desses cotejos sugerem que os poemas de Parnaso não seriam o produto de uma simples imitação literária.

O último capítulo, à guisa de conclusão, é um desdobramento dos resultados obtidos nas duas primeiras partes do trabalho. Intitulado “O contexto literário de Parnaso”, estudam-se neste capítulo os seguintes temas: a configuração autoral e a intenção probatória da antologia; alguns pressupostos do entendimento espírita de arte; a inspiração literária e o espiritismo; Chico Xavier e a psicografia e, por fim, os propósitos persuasivos da literatura espírita.

>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site

 

topo