Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

>     Divaldo Franco – 80 anos de amor


07/05/2007

 

No dia 5 de maio de 1927 a Espiritualidade Superior fez reencarnar em Feira de Santana, na Bahia, mais um exemplar humano com objetivos de semear estrelas para o mundo. Nascia Divaldo Pereira Franco, de família modesta, a exemplo de todos os grandes seres que Deus enviou à Terra.

Hoje ele está fazendo 80 anos, embora não esteja com cara de 80 anos, mantém a lucidez de um jovem, continua muito bem fisicamente, com aquele bom humor que é conhecido por todos aqueles que tiveram e têm o privilégio de gozar da sua amizade mais próxima, além de continuar proporcionando luz por onde passa.

Como aconteceu com todos os grandes seres, em toda a história da humanidade, ele sofreu ações terríveis de invejosos, levianos e almas (encarnadas) altamente perturbadas que tudo fizeram (e ainda fazem) para minimizar e até para dar um fim ao seu trabalho em benefício da humanidade.

Mas, na sua altivez, sempre se manteve firme, de cabeça erguida e vigilante para não sair da trilha que fora traçada para a sua missão.
Proferiu mais de 10.000 palestras, tendo visitado aproximadamente 1.000 cidades no Brasil e no mundo, onde já visitou 60 países nos cinco continentes e colocou-se incansavelmente a disposição da Espiritualidade para presentear-nos com 175 títulos de livros notáveis, com 71 deles traduzidos para outros idiomas, constituindo-se em um dos nomes mais lidos do Brasil, pelos seus mais de sete milhões de exemplares vendidos.
Nas mais de 600 honrarias que recebeu, em diversas partes do mundo, ressaltam-se os títulos de Doctor in Parapsicology, Doctor Honoris Causa in Humanity e Doctor Honoris Causa em Educação outorgados por universidades americana, canadense e brasileira.

Aos vinte e poucos anos de idade, no início da sua mediunidade de psicografia, procurou o também notável Chico Xavier, a quem, durante muito tempo, fazia visitas periódicas desde Pedro Leopoldo até Uberaba, para orientar-se junto aos Benfeitores Espirituais, sempre postando-se com Humildade em querer saber dos espíritos que já trabalhavam com o extraordinário médium mineiro acerca do seu trabalho.

Vejamos os questionamentos que Divaldo fazia e o que respondiam Emmanuel, Bezerra de Menezes e André Luiz, através de Chico Xavier, espíritos esses, sempre vigilantes, que sabiam muito bem a quem estavam depositando confiança em trabalhos que teriam grande influência no Espiritismo no mundo:

No dia 13 de outubro de 1953, em sessão espírita em Pedro Leopoldo, no Centro Espírita Luiz Gonzaga colocou a seguinte indagação à mesa:
Divaldo – “Em virtude de termos várias páginas mediúnicas, solicitamos esclarecimentos no sentido de que devemos ou não enfeixar num volume agora, ou aguardar mais tempo? Quanto a possibilidades psicográficas devo insistir ou seguir outro curso?”
Resposta (através de Chico Xavier) – “Meu amigo, é justo dar à claridade o pão de luz para o espírito recolhido. Seus mentores espirituais cooperarão a fim de que o problema seja atenciosamente desenvolvido.”

No dia seguinte, em outra reunião, ele volta a indagar os espíritos, que lhe respondem, novamente, através do Chico:
Divaldo – “Deverei prosseguir no serviço de receituário dos nossos trabalhos aos sábados? Qual benfeitor que nos ajuda nesse mister?”
Resposta – “Meu amigo, o nosso irmão Carneiro superintende o trabalho sob a sua responsabilidade. Nossos irmãos enfermos contam conosco. Prossigamos trabalhando. Jesus nos fortaleça e abençoe”.
Assina: Bezerra de Menezes.

Em 30 de maio de 1958, cinco anos depois, retornando a Pedro Leopoldo, mais uma vez participando dos trabalhos espíritas ao lado de Chico Xavier, ele, mais uma vez, indaga aos espíritos:
Divaldo – “Estou recebendo páginas atribuídas a Irmã Otília. Poderiam os Benfeitores Espirituais dizer-me algo a respeito?”
Resposta (através do Chico) – “Meu filho, Jesus nos abençoe. Nossa irmã Otília vem fazendo quanto possível por transmitir as suas impressões da Vida Espiritual por seu intermédio. Ajude-a com a sua receptividade construtiva. Depois de conjunto mais extenso de páginas, completar-se-á, então, o texto de que se formará edificante trabalho de educação e consolo, esclarecimento e esperança, com vistas à sementeira de luz em nosso campo doutrinário. Que o Senhor nos ampare sempre”.
Ass: Emmanuel.

E assim Divaldo psicografa o livro “Além da Morte”, do Espírito Otília Gonçalves, que teve o prefácio escrito por André Luiz, sob a psicografia de Chico Xavier, que tem o arremate final assim:
“... É por isto que saudamos neste livro mais um brado de renovação e esperança concitando-nos ao aproveitamento das horas.
Fixemos a atenção.

O médium é o braço do semeador. A emissária é a mão que semeia. A mensagem é a semente de encarnados e desencarnados, a palavra de amor e exortação que nos é trazida ao entendimento, assimilando-lhe os valores imperecíveis porque, em verdade, andam sempre avisados e felizes os que trazem consigo os olhos de ver e os ouvidos de ouvir”.
Ass: André Luiz.

E Divaldo continua as suas visitas ao amigo querido, Chico Xavier, a quem sempre depositou confiança nas orientações tanto dele quanto dos Espíritos que com ele trabalhavam, fazendo nova indagação em outra oportunidade:

Divaldo – “Pergunto aos Benfeitores Espirituais acerca das páginas atribuídas ao espírito de Nise Moacyr, que venho recebendo, se devem oportunidade ser dadas a lume”.
Resposta (através do Chico) – “Essas páginas constituem pão espiritual para os corações que iniciam a marcha no caminho humano, conferindo-lhes suficiente luz para a jornada redentora.
Não esmoreçamos, pois, trabalhando para endereçá-las, tão amplamente quanto possível, ao seu nobre destino. Jesus nos abençoe.”
Ass: Bezerra de Menezes.

Em 3 de novembro de 1961, em nova visita ao Chico, desta vez em Uberaba, desta vez são os notáveis Espíritos que o saúdam, independentemente de indagação:
Bezerra de Menezes (através do Chico) – “Divaldo Pereira Franco, 30 anos, presente. Nosso amigo continua amparado com segurança por devotos Instrutores Espirituais em suas nobres tarefas. Continuemos, meu filho, fiéis ao Senhor, hoje e sempre.” Ass: Bezerra de Menezes.
(Quem desejar conhecer melhor esta relação bonita entre os nossos mais notáveis médiuns, sugiro a leitura do livro A anti-história das mensagens co-piadas” de autoria do Luciano dos Anjos.)

E Divaldo continuou mesmo, amparado com segurança por devotos Instrutores Espirituais, conforme o recomendou Bezerra, através do Chico.
Por onde vai planta luz, ao levar sempre alguns milhares de pessoas a aplaudi-lo de pé nos grandes auditórios e até ginásios de esportes onde profere as suas magistrais conferências.

Vários Psicólogos e profissionais da Psicanálise, de um modo geral, afirmam que através do Espírito Joanna de Ângelis, pela sua psicografia, aprenderam mais sobre o comportamental humano que nas Faculdades que cursaram e nos Congressos que participaram.

Portanto, amigos e amigas que me prestigiam com a leitura, quero aqui convidar todos a vibrarem, positivamente, neste 5 de maio de 2007 para que Deus, nosso Pai, Jesus, nosso Mestre e os Benfeitores Espirituais compromissados com o processo evolutivo da humanidade assistam sempre o nosso querido Divaldo, dando-lhe saúde e energias reforçadas, na chegada aos 80 anos de idade, para que ele possa, por muito e muito tempo, continuar a nos brindar com os ensinamentos que nos são passados não apenas pela autoria dos Espíritos desencarnados que o assistem, como a Joaninha, o Philomeno, o Viana, Tagore, Victor, Marcos e outros mas por ele mesmo, que também é um espírito, encarnado, que, como um grande maestro, possui a sua própria batuta de ouro para nos reger a tocar a vida absolutamente afinados, com todos os sustenidos, bemóis e bequadros muito bem sofejados na sinfonia do Amor.

Eu queria estar na Mansão do Caminho hoje para abraçá-lo pessoalmente, (embora já o tenha feito há duas semanas atrás), mas também para comer aquele feijãozinho muito bem temperado lá na Casa Grande, ao lado do Tio Nilson, do Edilton, do Pugliesi, Tia Ziza e toda aquela turma que forma a base de apoio ao nosso querido Bandeirante da Luz.

Sei que você vai reduzir o seu volume de viagens a partir de agora, Di, conforme me disse, mas arrume um jeito para estar mais tempo e mais vezes na televisão que eu e os nossos amigos da TVCEI estaremos prontos a levar a sua mensagem para os pontos mais longínquos deste Planeta, a fim de que a trajetória do seu amor não seja interrompida.

Carinhosamente.


Alamar Régis Carvalho
alamar@redevisao.net
www.redevisao.net

>>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site

 

topo