Espirituialidades e Sociedade



Notícias :

>   Comunidade em Heliópolis é exemplo de mobilização e gestão comunitária



21/03/2007

 

Susana Sarmiento
Portal Setor 3 Senac SP


São 125 mil habitantes que moram em um milhão de m2 na segunda maior favela do país, sendo que 52% estão na faixa etária de 0 a 25 anos e 91% têm origem nordestina. Localizada na zona sul de São Paulo, Heliópolis é conhecida por sua mobilização comunitária, com cerca de 20 organizações da sociedade civil.

A União dos Núcleos, Associações e Sociedade dos Moradores de Heliópolis e São João Clímaco (Unas) é uma das principais organizações da comunidade com mais de 20 projetos sociais para atender toda a população local. O grupo, que recebeu a reportagem do setor 3, foi criado no final da década de 70 com o objetivo de promover a organização dos moradores da comunidade e melhorar a qualidade de vida local. A associação também desenvolveu uma biblioteca comunitária que disponibiliza cinco mil livros de literatura, artes, livros didáticos, enciclopédias, gibis, jornais e revistas. Também há um espaço de mediação de leitura para as crianças. Hoje já são mil pessoas cadastradas na biblioteca.

"Não existe essa de esperar as coisas acontecerem. É importante a população fiscalizar como as prefeituras estão gastando nosso dinheiro. Para isso, a comunidade precisa se envolver pela causa e pressionar o poder público a ajudar a periferia. Com aumento na qualidade de vida, as pessoas terão melhor auto-estima e sentiram estímulo para estudar e promover cidadania", opina João Miranda Neto, presidente da Unas.

 

Roupa suja se lava na comunidade

Com sabão e sacola de roupas na mão, as mulheres da comunidade de Heliópolis, zona sul de São Paulo, chegam aos poucos na Lavanderia Comunitária Omo. São mulheres, adolescentes e até homens que lavam suas roupas uma vez por semana sem pagar nada. A maioria dos frequentadores não tem máquinas e usavam a única pia da casa para lavar a roupa.

São 36 máquinas, 20 tanques e oito secadoras na Lavanderia Comunitária. Para utilizar o serviço, é preciso fazer pré-agendamento por telefone ou pessoalmente com pelo menos um dia de antecedência. Cada pessoa pode ficar até duas horas lavando e secando as roupas.

Criada em 2004, a lavanderia tem hoje 2.500 pessoas cadastradas e diariamente atende de 25 a 50. Com uma área de 108 m2, abre de terça a domingo das oito da manhã até as 18h. A Unas e a empresa Unilever realizaram um estudo para saber as principais demandas da comunidade, que apontou o baixo número de máquinas de lavar. A partir daí, decidiram criar a lavanderia comunitária.O usuário só precisa levar o sabão em pó. A água e a energia são pagas pela Unilever do Brasil - OMO e as máquinas de lavar, secadoras e tanques foram doadas pela Brastemp.

Maria Diva de Souza Silva, coordenadora da lavanderia, mora há 20 anos em Heliópolis e conta que esse projeto ajuda muitas famílias. Ela observa ainda que o ambiente proporciona uma troca de experiências e conselhos. "Aqui tem sempre uma história em cada lavada. Algumas mulheres chegam chorando e outras rindo. Eu sirvo de psicóloga também".

A lavanderia também pretende ser um espaço para discussão e conscientização. Para, por exemplo, comemorar o Dia Internacional da Mulher (08/03), haverá uma palestra sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis na próxima quinta-feira.

Rosineide Viana da Silva, 20 anos, freqüenta o espaço toda semana. Antes lavava na bacia as roupas da família. Começou a ajudar a mãe aos sete anos de idade. "Como minha mãe trabalhava fora, eu ajudava a arrumar a casa e a cuidar das minhas irmãs. Aqui posso lavar de tudo e ajuda demais a quem não tem máquina em casa", conta. Ivone Sérgio de Oliveira, 44 anos, também aprova a lavanderia. Moradora há dez anos em Heliópolis, vai uma vez por semana lavar a roupa da família e acha muito econômico levar apenas o sabão em pó.


Jovens são capacitados para trabalharem no mercado da Moda

Desenhos, croquis e muitas cores. Assim são as aulas práticas do Projeto Escola de Moda Jovem, que beneficia 30 jovens da comunidade de Heliópolis e tem aulas todos os dias das 13h até 17h. O principal objetivo é capacitar jovens oferecendo oficinas de pesquisa de mercado e tendências, cursos de gestão e vendas, moda e estilismo, técnicas de desenho e criação de croqui. Também há aulas sócio-educativas com temas de cidadania, drogas e sexualidade.

A educadora social Tatiane Bernardino da Silva explica que o principal objetivo do programa é geração de renda. O projeto é uma das iniciativas da Unas e teve início em 2006. Os próprios alunos já desenvolveram seus uniformes e a costura das peças foi feita pela Cooper Moda, uma cooperativa de costureiras da comunidade.

Para conhecer o estilo dos adolescentes e jovens, os alunos do projeto realizaram uma pesquisa em julho do ano passado para verificar a renda familiar, grau de escolaridade e o estilos de roupas preferidos pela comunidade. Foram consultados cerca de 300 jovens. A partir daí, os alunos começaram a desenhar a primeira coleção. "Queremos desenvolver uma marca dos jovens de Heliópolis. Para esse ano, o foco é gerar renda e fazer a coleção outono-inverno", revela Tatiane.

O grupo tem também aulas de História da Moda, composição de tecidos, aviamentos, modelagem, além de práticas de desenho, dentre outras.

Entre muitas meninas, o jovem Evangelista Galvão Alves, 18 anos, desenha uma peça para a próxima coleção. Ele gosta de fazer as estampas e criar roupas no estilo surf.

"Meus amigos falaram que isso era coisa de mulher. Mas vi esse projeto como uma oportunidade, porque posso aumentar meus conhecimentos e aprender uma atividade que gere renda", diz.

Valdete de Souza, 20 anos, admite que não gosta tanto de desenhar, mas acha interessante a técnica do desenho que mostra o movimento. Hoje ela repara bem no que as pessoas vestem e como usam suas roupas para ter mais idéias na hora de criar uma peça. "É difícil desenhar o caimento da roupa. Você precisa desenhar o modelo de lado, de perfil, em movimento e 3x4", explica.

-----------------------------------------------------------------

Serviço

União dos Núcleos, Associações e Sociedade dos Moradores de Heliópolis e São João Clímaco – Unas Rua da Mina, 38 - Heliópolis - São Paulo (SP)
Tel. (11) 2272-0140

 

Fonte - clique aqui

>>> clique aqui para ver a lista completa de notícias

>>> clique aqui para voltar a página inicial do site

 

topo