Espiritualidade e Sociedade





Ricardo A. Terini

>   Espiritismo e evolução do princípio inteligente - Três Reinos?

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Ricardo A. Terini
>    Espiritismo e evolução do princípio inteligente - Três Reinos?


Ricardo A. Terini (1)
(1) Centro Espírita Irmão Itajubá, São Paulo, SP.


* texto disponível em pdf - clique aqui para acessar

 

 

Resumo

Na formulação do Espiritismo como ciência de observação, Allan Kardec sempre se preocupou em apresentar os conceitos doutrinários associados às idéias científicas aceitas na sua época, visando integrá-lo à cultura vigente. E buscava atualizar-se, consolidando a doutrina de modo que a confiança nela pudesse “enfrentar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade”.

Em O Livro dos Espíritos, Kardec menciona uma classificação dos seres da Natureza em três reinos, incluindo os minerais, com base em divisão científica aceita desde o século XVIII. O presente trabalho analisa a evolução dessa concepção biológica após Kardec, quando ela passou a incluir apenas os seres vivos, derivando para o evolucionismo das espécies e do ser humano (darwinismo), aprofundado e consolidado com o desenvolvimento, no século XX, da biologia evolucionista e com o mapeamento do genoma humano. Nesse livro, Kardec aborda com cuidado o terreno da ciência biológica das espécies.

Após a publicação de A Origem das Espécies por Charles Darwin em 1859, Kardec, em vários artigos na Revista Espírita, avançaria os conceitos da Doutrina em consonância com o desenvolvimento da Ciência da evolução. Em A Gênese, em 1868, Kardec formularia a hipótese sobre a origem do corpo humano em que nossa descendência biológica dos primatas apareceria como a conclusão mais provável. No entanto, diferentemente da preocupação de Kardec, a evolução dessa concepção biológica não tem sido levada em conta pela maioria dos divulgadores do Espiritismo, que continuam a ensinar os mesmos Três reinos ainda hoje, comprometendo a própria credibilidade da Doutrina na sociedade.

Por outro lado, O Livro dos Espíritos introduz a ideia de que os Espíritos humanos se desenvolveram e individualizaram em várias existências nas espécies ditas inferiores da Natureza. Em A Gênese, a hipótese da evolução espiritual através das espécies vivas seria desenvolvida, confirmando-se que “nesse primeiro período a alma se elabora e ensaia para a vida”. Ali, Kardec avançaria também na compatibilização entre a evolução do princípio espiritual e a teoria da evolução das espécies vivas, analisando que, na época do surgimento dos primeiros hominídeos na Terra, os corpos de macaco existentes teriam sido muito adequados para a encarnação dos primeiros Espíritos humanos que vieram habitar a Terra. As conclusões atuais da biologia evolucionária e da paleontologia têm sido bastante compatíveis com essas teses espíritas.

A análise aqui apresentada confirma que o Espiritismo e a Ciência se completam e se fortalecem um ao outro, e que a divulgação adequada desses dados irá certamente contribuir para fortalecer e arejar nossa fé raciocinada.

 

 

* texto disponível em pdf - clique aqui para acessar

 

 

 


 

Fonte: Jornal de Estudos Espíritas 8, 010205 (2020)
- https://sites.google.com/site/jeespiritas/volumes/volume-8---2020/resumo---art-n-010205
- https://drive.google.com/file/d/1zBzDbs3ZYtpVSdy0H8BQZ-NjMbYUF3Fi/view


 

 



topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual