Espiritualidade e Sociedade



André Luís N. Soares

>       Florence: uma Análise dos Incidentes Volckman e George Sitwell

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

André Luís N. Soares
>   Florence: uma Análise dos Incidentes Volckman e George Sitwell

 

* texto disponível em pdf - clique aqui para acessar

 

(trecho inicial)

A FAMOSA médium de materialização que Sir William Crookes investigou. A história de sua mediunidade iniciou em 1871. Ela via espíritos e escutava vozes desde sua infância, mas isto era tido como sua forte imaginação. Quando fez 15 anos de idade em uma festa de chá com amigos foi proposto uma table-turning (mesas girantes). Ela recusou participar, mas na segunda vez, com a permissão de sua mãe, estava consentida para a experiência. Coisas extraordinárias aconteceram. A mesa ficou incotrolável e Florence Cook foi levitada. Depois ela e sua mãe começaram a realizar em casa. A mão da Senhoria Cook começou a escrever. Uma mensagem foi bem sucedida e dizia que ela deveria ir a um certo livreiro e lá inquir a respeito da Dalston Association sobre uma reunião que aconteceria dentro de poucos dias lá onde ela poderia conhecer o editor do The Spiritualist. Por algum tempo ela deu sessões para a Dalston society.

Ela freqüentou algumas reuniões de materialização e ficou com Herne na casa do seu pai. Ela logo desistiu das sessões de materialização em Dalston pois as manifestações se tornaram muito fortes e embaraçosas para uma assembléia pública. Ela era levitada acima das cabeças dos assistentes, mãos invisíveis tiravam sua roupa e a recolocavam de forma que Sra. Cook [a mãe] decidiu permitir a ela somente fazer em casa. Ela freqüentemente ficava extasiada e nesta condição uma personalidade diferente, chamando-se "Katie King", filha de John King, pseudônimo Henry Owen Morgan, o pirata, prometeu permanecer por três anos e manifestar muitas coisas estranhas. A promessa foi generosamente mantida (Encyclopaedia of Psychic Science by Nandor Fodor. 1934).

Numa Sessão em dezembro de 1873 Sr. Volckman alegou atirar-se e agarrar o espírito Katie King a fim de provar que na realidade a entidade era a própria médium Florence disfarçada. A conduta do Senhor foi confirmada por presentes, restando uma certa nebulosidade quanto à dinâmica dos fatos. Volckman sustenta:

 

* - continuer a ler - texto disponível em pdf - clique aqui para acessar


topo

 

 


Vejam do mesmo autor:

André Luís N. Soares

->  Algumas considerações sobre o Livre arbítrio
->  Consequências da descrença na reencarnação e na vida após a morte
->  Continuamos Vivos: Mente Além ou Aquém do Cérebro?
->  Estamos Vivos: uma re-análise de 16 casos psicográficos
->  Experiências Extracorpóreas em EQMs: Resgatando o Conceito Clássico
->  Florence: uma Análise dos Incidentes Volckman e George Sitwell
->  Leonora Piper (1857-1950)
->  A “Navalha de Occam” e o Paradigma Espírita
->  A "Navalha de Occam" e a Simplicidade da Teoria da Sobrevivência
->  As personalidades controles ou guias espirituais dos médiuns espiritualistas