Espiritualidade e Sociedade





Adair Ribeiro

>   Manuscrito com rascunho de próprio punho de Allan Kardec da 1a. edição do Catálogo Racional

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Adair Ribeiro
>    Manuscrito com rascunho de próprio punho de Allan Kardec da 1a. edição do Catálogo Racional

 


 

 

 

Em 4/4/2020 publicamos nossa pesquisa sobre as várias edições existentes do Catálogo Racional, que foram encartadas em diversas obras.
- https://www.facebook.com/allankardec.online/posts/124995225781036 -

Em 30/08/2020 trouxemos a público, a 1ª edição, até então inédita, do Catálogo Racional escrito e publicado por Allan Kardec
- https://www.facebook.com/allankardec.online/posts/172767564337135 -
que foi encartada em abril de 1869 na Revista Espírita.

 

A descoberta desta 1ª edição ajuda a esclarecer certas afirmações e interpretações que geram polêmicas sobre textos constantes em algumas das obras de Kardec.

O primeiro ponto seria sobre a afirmação de alguns de que a obra “Os Quatro Evangelhos” de J. B. Roustaing teria sido colocada no Catálogo Racional por dissidentes do Espiritismo, após o desencarne de Kardec. Afirmação totalmente infundada e desprovida de qualquer comprovação, pois, como podemos verificar na 1ª edição do Catálogo Racional, que foi escrito e publicado pelo próprio Allan Kardec, esta informação já constava nesta 1ª edição.

Outra afirmação que entendemos não ser pertinente se insere na teoria da adulteração da 5ª edição de A Gênese. Muitos afirmam que Leymarie, através das ideias de Roustaing, seria o responsável pelo acréscimo do parágrafo no item 67 do Capítulo XV: “Os Docetas (do grego dokein, aparecer), seita numerosa dos Gnósticos, que subsistiu durante os três primeiros séculos, tinham a mesma crença”.

Sem entrar no mérito de um existente anacronismo histórico deste pensamento, e, analisando somente a descrição existente sobre a obra de Roustaing – constante na 1ª edição do Catálogo Racional – que é de autoria de Allan Kardec - parece se tornar mais perceptivo que o acréscimo na 5ª edição de A Gênese está em plena sintonia com o pensamento do mestre.

Vejamos o texto escrito por Kardec no Catálogo Racional sobre a obra “Os Quatro Evangelhos”:

“A teoria formulada nesta obra sobre a natureza fluídica do corpo de Jesus, que não teria nascido e sofrido senão em aparência, é a mesma dos docetistas e dos apolinaristas dos primeiros séculos da Era Cristã.”

Outra informação muito importante que foi trazida com a descoberta da 1ª edição do Catálogo Racional é a menção à 4ª edição do livro “O Céu e o Inferno”, pois temos um indicativo de que esta obra já estaria pronta para ser impressa antes de 31 de março de 1869, para que pudesse constar neste Catálogo. Ou seja, com todas as suas revisões e alterações prontas e efetuadas por Allan Kardec.

Como é sabido, o livro “O Céu e o Inferno” ficou disponível para venda em 1º de junho de 1869, conforme Revista Espírita de julho de 1869, e o próprio texto do anúncio afirma que a obra havia sofrido alterações realizadas (inteiramente revista e corrigida) pelo próprio Kardec. Isto é muito importante, pois já existem teorias de que as alterações existentes nesta 4ª edição do livro “O Céu e o Inferno” não seriam de Allan Kardec.

Mais uma informação muito esclarecedora que é trazida pela 1ª edição do Catálogo Racional, aparece mais especificamente na página 5, e é relativa à obra de Michel (de Figagnères, Var). La Clef de la vie. - 2 vol. in-12, 7 fr. (Épuisé.) Système étrange de cosmogonie et de théogonie universelles, dicté par M. Michel, en état d'extase. Ce livre, écrit au début des manifestations, coïncide, sur certains points, avec la doctrine spirite ; mais sur le plus grand nombre, il est en contradiction avec les données de la science et l'enseignement général des Esprits. (Voir la Genèse selon le Spiritisme, chap. VIII. nos de 4 à 7.).

Ou seja, a referência ao item/parágrafo 7, do Capítulo VIII de A Gênese, sendo que este item/parágrafo só existe na 5ª edição, indica que Kardec foi o autor deste item/parágrafo, que para muitos sempre foi tratado como um dos textos adicionados por supostos adulteradores.

Esperamos que a descoberta desta 1ª edição do Catálogo Racional possa provocar mais reflexões e propiciar um maior esclarecimento a todos sobre a importância das pesquisas com métodos e fontes primárias.

A hipótese de que tenha sido Allan Kardec o autor das alterações da 5ª edição de A Gênese se faz cada vez mais fortalecida.

 

Apresentamos agora mais um manuscrito de próprio punho de Allan Kardec, que contém o rascunho referente à 1a. edição do Catálogo Racional.

Este manuscrito apresenta algumas informações interessantes sobre as obras que Kardec estava analisando para fazerem parte da 1ª edição do “Catalogue Raisonné des ouvrages pouvant servir a former une Bibliothèque Spirite” – Catálogo Racional das obras para formar uma Biblioteca Espírita.

Sim, você leu corretamente! No nome da 1a. edição constava "Former" (Formar) e não "Fonder" (Fundar) uma Biblioteca Espírita.

Faça o download da obra para suas pesquisas no website allankardec.online:
https://www.allankardec.online/search?q=LIVRO+CAT%C3%81LOGO+RACIONAL+-+1a.+EDI%C3%87%C3%83O

 

A primeira observação que gostaríamos de apresentar é com relação à obra “Fourier, sa vie et ses œuvres, par PELLARIN. - 1 vol. in-18, 3 fr. (Epuisé.)” e sua descrição: Cet ouvrage contient une lettre de Fourier écrite en 1826, et où l'on trouve cette prévision du Spiritisme : “Si tout est lié dans la nature, il doit exister des moyens de communication entre les créatures de l'autre monde et celui-ci.”


Esta obra que aparece no Catálogo Racional, não está incluída no referido rascunho. Esta obra aparece na Revista Espírita de março de 1869, no artigo de Kardec denominado “CHARLES FOURIE”.


Este fato nos leva a acreditar que este manuscrito é uma versão prévia dos originais que deram origem ao Catálogo Racional, pois a obra citada acima constou na Revista Espírita daquele mês de março daquele ano, e foi acrescentada no Catálogo Racional de abril de 1869.


Outra informação interessante se refere à obra de Guérin (Mad. Eug. de) - Lettres et Journal – Paris – Didier et Cie. Esta obra não fez parte do Catálogo Racional.


Nossas pesquisas no levam a Eugénie de Guérin - nascida em 29 de janeiro de 1805 no castelo de Cayla , perto de Albi - morreu em 31 de maio de 1848 - francesa de letras , irmã maior do poeta Maurice de Guérin com quem manteve uma notável correspondência. Localizamos a obra “Eugénie de Guérin, Journal et lettres publiés avec l'assentiment de sa famille par G. S. Trebutien”, que foi publicada por Didier et Cie em 1863.


Outra obra que consta do manuscrito de Allan Kardec é o livro “Méditations et études morales” (vide foto) de Guizot, também de Didier et Cie. Esta obra também não constou do Catálogo Racional.


François Pierre Guillaume Guizot, nascido em 4 de outubro de 1787 em Nîmes, morreu em12 de setembro de 1874 em Saint-Ouen-le-Pin, foi um historiador e estadista francês, membro da Academia Francesa desde 1836, várias vezes ministro da Monarquia de Julho, especialmente das Relações Exteriores de 1840 a 1848, tornando-se Presidente do Conselho em 1847, pouco antes de ser derrubado pela Revolução Francesa de 1848. Também desempenhou um papel importante na história da escola na França, como Ministro da Instrução Pública, pela lei de 1833, pedindo a criação de uma escola primária por comuna e uma escola primária normal por departamento.
Outra obra deste autor que aparece no manuscrito e não constou do Catálogo Racional é “L’Église et la société moderne em 1861” (Revue Spirite de décembre 1861 page 393 et janvier 1862 page 2, à propose du Surnaturel selon M. Guizot).


Nas referidas Revistas Espíritas localizamos os artigos denominados “O Sobrenatural”. Na verdade, constatamos que o nome correto deste livro é “L'Église et la société chrétienne en 1861” (vide foto)


E, por fim, a obra “Horizons Celestes (les)” – Paris - Michel Lévy que consta do manuscrito e que, também, não constou da 1ª edição do Catálogo Racional.


Esta obra (vide foto), de 1859, é de Valérie Boissier, condessa de Gasparin (13 de setembro de 1813 - 1894). Ela foi porta-voz em temas como liberdade, igualdade e criatividade. Nascida em Genebra e esposa de Agénor de Gasparin. Foi uma prolífica escritora sobre religião, temas sociais e viagens.


A cada manuscrito pesquisado e divulgado poderemos conhecer um pouco mais da historiografia do Espiritismo, bem como, um pouco mais sobre o pensamento e a metodologia utilizada pelo mestre Allan Kardec.

 

Nossos agradecimentos aos parceiros de pesquisa: CSI do Espiritismo e OdK
www.ObrasdeKardec.com.br.

Em breve este manuscrito e muitos outros estarão disponíveis com as transcrições e traduções no portal - Projeto Allan Kardec - da Universidade Federal de Juiz de Fora – MG: https://projetokardec.ufjf.br

 

 

 

 

Referências:
1. https://fr.wikipedia.org/wiki/Eug%C3%A9nie_de_Gu%C3%A9rin;
2. https://www.lebeaulivre.com/pageconsult_pop.php?ID=22750&alt=-3;
3. https://fr.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7ois_Guizot;
4. https://books.google.com.br/books?id=WEY8AAAAcAAJ&printsec=frontcover&hl=pt-PT&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false;
5. https://en.wikipedia.org/wiki/Val%C3%A9rie_de_Gasparin;
6. https://books.google.com.br/books?id=jBYUAAAAQAAJ&printsec=frontcover&hl=pt-PT&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false;

 

 


Fonte: https://www.facebook.com/groups/lihpe/?multi_permalinks=2349477341844060%2C2344865652305229%2C2338902092901585%2C2331004930357968%2C2344941845630943&notif_id=1599350064434645&notif_t=group_activity&ref=notif


 




topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual