Espiritualidade e Sociedade





Rogério Miguez


>    A força do exemplo

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Rogério Miguez
>   A força do exemplo

 

 

Difundida no meio espírita, encontra-se a seguinte orientação: a maior caridade que se pode fazer pela Doutrina é a sua própria divulgação. Esta expressão, exatamente como está escrita, além de algumas variantes, pois cada qual a registra de modo particular, inspira-se em ensino do Espírito Emmanuel a que nos referiremos adiante. Normalmente, a máxima é citada para enfatizar a divulgação espírita, visando a sua melhor propagação, pelos meios escritos, televisivos, e pelas variadas mídias existentes.

Poder-se-ia perguntar qual seria a razão de se questionar a propriedade desta norma? Afinal, divulgar não é útil e bom? Afirma-se ser a propaganda a alma do negócio, e quando se faz divulgação, faz-se propaganda, não há sombra
de dúvida.

Todavia, há duas pertinentes questões envolvidas aqui em exame: a primeira se prende à despreocupação e tendência de muitos em não serem fiéis aos escritos alheios, uma vez que, agindo assim, podem facilmente modificar sobremaneira a ideia original do autor, como é o caso da expressão que aqui focalizamos. É semelhante aquele antigo ditado: “Quem conta um conto, sempre aumenta um ponto”; e neste particular poderíamos dizer “sempre modifica um ponto”; a segunda é saber se realmente a maior caridade que podemos fazer pela Doutrina é a sua divulgação pelos meios citados, entre outros; é informação capital, porque, se for assim, devemos sempre concentrar todos os nossos esforços nesta direção; se porém não for, precisamos redirecionar a nossa atenção para o foco real, sem esquecer também da valiosíssima e tradicional divulgação.

 

* continue a ler - texto completo disponível em pdf - clique aqui para acessar

 

 

 



topo

 

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual