Espiritualidade e Sociedade





Ismael Gobbo


>   Divaldo Franco: 70 anos de oratória

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Ismael Gobbo
>   Divaldo Franco: 70 anos de oratória

 

Publicado originalmente no jornal
Folha da Região, Araçatuba, SP,
05-04-2017.

 

Conhecido mundialmente, Divaldo Pereira Franco, o notável tribuno baiano, é lembrado com intensidade neste 2017: 90 anos de idade em 5 de maio; 70 anos de atividade na oratória. E, no feriado de 7 de setembro, o Centro Espírita Caminho da Redenção, entidade fundada por ele e berço de uma das mais importantes obras de filantropia e prestação de serviços do Brasil, completará sete décadas de trabalho.

Nesse artigo, nos fixaremos na atividade do conferencista. Em 1945, Divaldo aportou em Salvador, vindo de sua cidade natal, Feira de Santana. Estudando Allan Kardec – codificador da Doutrina Espírita – em reuniões na casa de dona Nanã, ele embevecia a todos ao falar de suas experiências mediúnicas desde a meninice, agora explicitadas pelo Espiritismo. Numa das reuniões, um amigo lhe pergunta se poderia aproveitar suas férias de trabalho para proferir palestras aos sergipanos. A estreia na tribuna aconteceu em Aracajú, na União Espírita Sergipana, aos 27 de março de 1947.

Segundo o médium, a experiência não foi fácil. Dificuldades no preparo, treinos na véspera e, no grande dia, noite mal dormida e nervosismo. Apresentado, cumprimenta o público, e nada do que preparara consegue exprimir. Veio o pedido de desculpas e o esboço de se sentar. Um espírito lhe aparece, o encoraja e diz: “Sou Humberto de Campos, levanta-te! Para falar de Jesus, é preciso colocar-se em pé. Vamos, te ajudo. Falarei por ti”. O público de 27 pessoas – no dia 27 – sorveu seu verbo eloquente e cheio de sabedoria por mais de hora. Aplausos, cumprimentos, elogios, afagos...

Convidado para nova palestra no dia seguinte, levou em conta a ajuda e o sucesso da véspera para não se preparar, e novo fiasco se desenhou. Com novas desculpas e novo ímpeto para desistir, eis Humberto de novo: “Por que não estudaste? Vou te ajudar novamente, não por teu mérito, mas em consideração ao público presente”. Desde então, Divaldo não mais deixou de fazer sua parte, estudando as obras espíritas e outras que lhe serviriam de base sólida para ser inigualável orador, embora ressalte que nas conferências os temas e o que fala se lhe descortinam como um filme na tela, o qual passa a narrar.

Nas pesquisas de Washington Fernandes, os números do orador são impressionantes: mais de 15 mil palestras em cinco Continentes; dez vezes em salas da ONU (EUA e Áustria); viajou mais de 15 milhões de km por 73 países (Europa, 30; Américas, 24; Ásia, 9; África, 7; Oceania, 3); concedeu mais de 2000 entrevistas, mais de 1400 horas no ar, em mais de 730 emissoras/retransmissoras (rádio/TV/Web), no Brasil e exterior.

Completar 90 anos com saúde é um privilégio. A diferença está em continuar trabalhando com interesse e disposição de um jovem de 18 anos. É só pesquisar nas redes sociais: a agenda de Divaldo; a condição de Embaixador da Paz; a Mansão do Caminho, em Salvador. Assim será possível avaliar a extensão da obra de um dos mais respeitados vultos do Espiritismo da atualidade. Parabéns, Divaldo! Muitos anos de vida, com saúde e paz!

 

 


Foto na manhã do dia 22 de abril de 1973, no encerramento da 16ª. COMENOESP, quando
Divaldo participou de uma entrevista com ampla participação dos presentes. A partir da esquerda:
Ismael Gobbo, César Perri, Therezinha Oliveira, Divaldo Pereira Franco e Israel Antonio Alfonso.

 

 

Fonte: http://www.noticiasespiritas.com.br/2017/ABRIL/06-04-2017.htm

 



topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual