Alexandre Fontes da Fonseca

>    Jogo do Ultimato e o Progresso da Humanidade

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Alexandre Fontes da Fonseca
>  Jogo do Ultimato e o Progresso da Humanidade



Pesquisas teóricas e experimentais em um tipo de “jogo” chamado
“ultimatum game” (jogo do ultimato) mostram que os seres humanos já
desenvolveram um senso de Justiça no relacionamento uns com os outros.

 

Em matéria anterior divulgamos algumas pesquisas em Matemática Aplicada com a chamada Teoria de Jogos [1], onde grupos sociais são analisados estatisticamente com relação ao comportamento cooperativo ou não-cooperativo dos seus membros. Discutimos as conseqüências morais dessas pesquisas ao verificar como a idéia de solidariedade emerge, naturalmente, como comportamento que proporciona maior progresso ao grupo. Verificamos que se os preceitos do Evangelho resumidos no “amai a Deus e ao próximo como a si mesmo” forem seguidos por cada um de nós a humanidade progredirá, certamente, a passos largos. O que consideramos digno de destaque é que essa conclusão, há muito conhecida e ensinada pelas religiões em geral, está agora se tornando uma certeza matemática.

Aqui, pretendemos complementar o assunto divulgando os estudos sobre o chamado “ultimatum game” (jogo do ultimato) [2,3] cujos resultados mostram que o ser humano não age de forma absolutamente racional e egoísta.

No jogo do ultimato dois jogadores são convidados a dividir uma determinada quantia em dinheiro. Um deles, o proponente, é o que fará uma oferta ao outro, o que responde. Se o que responde aceita a oferta, o dinheiro é dividido de acordo com a proposta. Se o que responde rejeita a oferta ambos os jogadores não recebem nada. A solução puramente racional é o proponente oferecer o menor valor possível e o que responde aceitá-lo. Afinal de contas, receber um valor muito baixo é melhor do que receber nada. Os jogadores são esclarecidos que só participarão do jogo uma única vez e que não é possível barganhar, ou seja, uma vez feita a oferta pelo proponente, cabe ao que responde dizer se aceita ou não.

Porém o resultado das pesquisas feitas aplicando-se este jogo a pessoas do mundo inteiro (maiores detalhes na referência [4]), mostra que os seres humanos não jogam de forma absolutamente racional. A maioria dos proponentes fazem uma oferta justa (até 80% deles oferecem de 40% a 50% do total) e mais da metade dos que respondem rejeitam ofertas menores que 30% do valor total [2,3].

Existem suposições para explicar esse comportamento, considerado irracional pelos cientistas (sem teor pejorativo), de dar ênfase na divisão justa, em contrapartida a obter-se o maior lucro. Uma delas sugere que os jogadores acreditam que, no futuro, se encontrarão novamente para jogarem o jogo. De fato, se o mesmo jogo for realizado várias vezes entre as mesmas pessoas o resultado tenderá para ofertas mais justas pois o que responde poderá rejeitar ofertas pequenas para obter ofertas maiores em rodadas posteriores [2].

Num contexto mais biológico, o jogo do ultimato pode representar o comportamento de dois indivíduos tentando dividir adiantadamente o ganho devido a alguma tarefa a ser realizada em conjunto, como uma atividade de caça. Outro exemplo seria a aplicação dessa idéia ao problema da divisão de alimentos. A rejeição com relação a um acordo pode fazer com que o alimento seja levado por uma outra pessoa ou ele pode estragar, ou ainda, o alimento pode “fugir” (no caso de uma caça ou pesca), etc. Acredita-se que situações similares tenham formado um instinto da divisão justa nos animais e seres humanos ao longo dos milhões de anos [2].

Podemos notar que as interpretações e ilações dos cientistas quanto aos resultados das pesquisas feitas com o jogo do ultimato refletem um ponto de vista materialista que ainda predomina no meio acadêmico. Porém, longe de lançar qualquer anátema aos cientistas, pretendemos discutir esses resultados à luz da Doutrina Espírita. Em O Livro dos Espíritos [5], encontramos as seguintes afirmativas:

766. A vida social está em a Natureza?
“Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Não lhe deu inutilmente a palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida de relação.”

767. É contrário à lei da Natureza o insulamento absoluto?
“Sem dúvida, pois que por instinto os homens buscam a sociedade e todos devem concorrer para o progresso, auxiliando-se mutuamente.” (Grifos nossos).


Nos resultados com as pesquisas feitas com o jogo do ultimato, vemos um reflexo dessas duas afirmativas dos espíritos. A vivência em sociedade já proporcionou algum progresso moral para a humanidade. Quando verificamos que a maioria das pessoas fazem ofertas justas no jogo do ultimato inferimos um comportamento que está presente nas situações da vida onde as pessoas necessitam da união para atingir um determinado objetivo. Cada uma delas tende a fazer a sua parte da melhor forma possível, promovendo o progresso já que o sucesso da equipe depende do esforço de seus membros.

Como a Humanidade ainda está em processo de evolução, é importante notar que a filosofia do jogo do ultimato não corresponde à filosofia do Evangelho. No jogo da vida segundo as regras cristãs cada proponente oferece o máximo e o melhor de si e o que responde recebe a oferta, de forma bastante grata, e retribui da melhor forma possível. Nossa humanidade, apesar do progresso intelectual e de alguns passos no progresso moral, ainda está num estágio evolutivo onde o egoísmo e o orgulho predominam.

As pesquisas com o jogo do ultimato oferecem ainda um resultado interessante. No artigo da referência [3], os autores estudaram os efeitos do conhecimento prévio, por parte do proponente, quanto aos valores que o que responde tem aceito em participações anteriores no jogo. Em outras palavras, eles estudaram os efeitos da “reputação” daquele que responde em aceitar determinadas ofertas. Eles mostram que o custo de se rejeitar uma oferta relativamente baixa é contrabalanceado pela “reputação” de ser um indivíduo que só aceita ofertas mais justas. Isso faz com que ele receba ofertas melhores em jogadas posteriores. Os autores do artigo da referência [3] concluem, portanto, que “reputação” favorece a justiça nas divisões do dinheiro.

Do ponto de vista moral e evangélico, uma boa “reputação” é obtida com o desenvolvimento da autoridade moral. Sabemos que os Espíritos influem no nosso pensamento “muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.” (O Livro dos Espíritos [5], questão número 459). Nesse aspecto, quando a influência ocorre por Espíritos ainda imperfeitos, apegados de forma demasiada às sensações da vida material, percebemos um pouco da estratégia do jogo do ultimato. Existem pessoas que realizam verdadeiros pactos com esses Espíritos onde eles ajudam essas pessoas a obterem os objetos de seus desejos materiais (muitas vezes vícios) e, em troca, eles exploram os sentidos delas ao sugarem os fluidos que as envolvem nessas práticas. Quando essas pessoas, pela evangelização, decidem mudar de vida, abolindo, de vez, tais práticas e vivências, após sofrerem alguma perseguição pelos algozes invisíveis, elas acabam adquirindo uma verdadeira “reputação” moral, afastando-os da sua atmosfera mental, permitindo a ligação com os Espíritos bons.

É por essa razão que os centros espíritas sérios sempre oferecerão a palavra do Evangelho, à luz do Espiritismo, como melhor remédio para a solução dos nossos males e imperfeições.

Page e Nowak [6] apresentaram os resultados de um interessante estudo feito, ainda, com o jogo do ultimato, onde uma idéia denominada por eles de empatia leva à justiça nas ofertas de dinheiro. Empatia foi definida por eles como sendo o comportamento do proponente em oferecer valores que ele aceitaria receber se fosse o que responde. Encontramos a frase “fazei aos outros o que quereríeis vos fizessem” no primeiro parágrafo do item 3 do capítulo XV do Evangelho Segundo o Espiritismo [7], intitulado “Fora da Caridade Não Há Salvação”. Temos aqui uma verificação direta dos efeitos da prática do Amor e da Caridade diante de um simples jogo que reflete um relacionamento social. Page e Nowak mostraram que “oferecer aos outros o que quereríeis vos fizessem como oferta” culmina com o comportamento justo diante da divisão dos bens e lucros.

Sugerimos a leitura do artigo do Sr. Armando dos Santos [8] a respeito do progresso que a humanidade já conquistou. Aqui, apresentamos uma pequena contribuição para mostrar que a Humanidade está sim, como dos Santos afirmou [8], “caminhando a passos largos, pela senda do PROGRESSO” (grifos originais).

Há mais de dois mil anos Jesus testemunhou o seu Amor mostrando-nos o Caminho para a vida Superior; há quase 150 anos Kardec recebeu das vozes do Além o “consolador prometido” para relembrar-nos os ensinamentos cristãos; hoje, arriscamos dizer que a Ciência, sem perceber, começa a verificar as conseqüências da prática da Caridade. Só temos a agradecer ao Pai pela Sua infinita bondade em nos mostrar o “caminho certo” de várias maneiras.

 

Referências:

[1] J. von Neumann e O. Morgenstern, Theory of Games and Economic Behavior, Princeton Univ. Press, New Jersey, (1944).
[2] K. M. Page, M. A. Nowak e K. Sigmund, Proceedings of the Royal Society of London B Vol. 267, p. 2177 (2000).
[3] M. A. Nowak, K. M. Page e K. Sigmund, Science Vol. 289, p. 1773 (2000).
[4] A. E. Roth, V. Prasknikar, M. Okuno-Fujiwara e S. Zamir, American Economical Review Vol. 81, p. 1068 (1991).
[5] A. Kardec, O Livro dos Espíritos, Editora FEB, 76a. Edição, (1995).
[6] K. M. Page e M. A. Nowak, Bulletin of Mathematical Biology Vol. 64, p. 1101 (2002).
[7] A. Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo, Editora FEB, 112a. Edição, (1996).
[8] Armando dos Santos, Revista FidelidadEspírita n.11, p. 18, (2003).

O autor é Doutor em Física pela UNICAMP e “Post-Doc” no Instituto de Física da USP.

Publicado na revista FidelidadESPÍRITA 20, pp. 26-28 (2004).

 

Fonte: http://www.aeradoespirito.net/ArtigosAF/JOGO_DO_ULT_E_O_PROG_HUM_AF.html



topo

 

 

Visitem também o Jornal de Estudos Espíritas (JEE), editado por Alexandre Fontes da Fonseca
       -   https://sites.google.com/site/jeespiritas

Leiam outros artigos de Alexandre Fontes da Fonseca

>  Aliança entre Ciência e Religião: Uma Contribuição da Matemática
>  Amai-vos e instruí-vos: estudando Ciência

>  Análise Científica da Teoria da Apometria
>  Análise de 'A Teoria Corpuscular do Espírito' e 'Psi quântico
>  Aniversário do Desencarne de Kardec: como comemorar?
>  A atualidade do termo “fluido” no Espiritismo
>  Caos, complexidade e a influência dos espíritos sobre os fenômenos da natureza
>  Carne: comer ou não comer? Eis a questão sob a luz da Doutrina Espírita
>  A Ciência em busca da verdadeira felicidade
>  Ciência e Espiritismo: um alerta de Allan Kardec e André Luiz
>  Controvérsias, contradições e polêmicas: um paralelo entre a Ciência e o Espiritismo
>  Chips em Cérebros: o que diz o Espiritismo
>  O Cientista, a pulga e Kardec
>  Como se ver livre da Obsessão?
>  Como o Espiritismo contribui para a Sociedade?
>  Considerações sobre a Ressonância "Shumann"
>  Cura Quântica
>  Curas: pomadas e cremes de origem mediúnica sob a luz do Espiritismo
>  Das Simetrias da Natureza às leis Morais
>  Duplo etérico: conceito espírita ou não?
>  É correto falar magnetismo?
>  Em Busca dos Mecanismos da Mediunidade
>  Estaria o Espiritismo ultrapassado?... Ou muito na frente?
>  O Espiritismo e a Universidade: condições necessárias mas não suficientes
>  Explicando conceitos espíritas em Mecanismos da Mediunidade parte I: analogia com raios gama
>  Explicando conceitos espíritas em Mecanismos da Mediunidade parte II: analogia com circuitos elétricos
>  Evocação no Movimento Espírita: quem disse que não há?
>  A Fábula dos Três Porquinhos e o Estudo do Espiritismo
>  Fé Raciocinada: Segundo Jesus, a Maior Fé!
>  Fenômeno de transporte: Bozzano, Zöllner, a Física e o Espiritismo
>  Física Quântica e Espiritismo : Um Alerta!
>  O Fluido Cósmico Universal e as Teorias Cosmológicas
>  O Genoma Humano e a Identidade do Espírito
>  O homem que questionou Jesus
>  Homenagem aos 156 anos (1857-2013) do Espiritismo: uma análise matemática do Controle Universal do Ensino dos Espíritos
>  A Importância do "Instruí-vos"
>  O “insight” pertence ao cérebro ou ao Espírito?
>  Jogo do Ultimato e o Progresso da Humanidade
>  Magnetismo ou Espiritismo? Parte I: A excelência teórica do Espiritismo
>  Magnetismo ou Espiritismo? Parte II: Reflexões em torno da palavra magnetismo no movimento espírita
>  Matéria e Energia Escura: não são o Fluido Universal
>  "Mensagem" dos Cristais de Água: Cientificamente NÃO Comprovado
>  A obra "A Física da Alma" e o Espiritismo
>  Opinião do espírita no movimento espírita
>  Parábola do Semeador: Revisitando Reflexões sobre o “Semeador”
>  O Pensamento é matéria? É quântico?
>  Permanentes Mudanças e Permanência
>  Pesquisa Espírita e Espiritualista
>  A Pureza Doutrinária e a Ciência
>  O que é Apometria e diferenças entre ela e o Espiritismo
>  O que é que o Espiritismo tem... que os outros não tem?
>  O que seria Pureza Doutrinária segundo o Espiritismo?
>  Sobre Caboclos e Pretos Velhos
>  A Transmissão do Pensamento é um Fenômeno Não-Local?
>  Um ensaio sobre matéria e energia
>  Uma análise científica de algumas afirmações de A Grande Síntese, de Pietro Ubaldi
>  Viagem no tempo: uma restrição espírita

Curso de Ciência e Espiritismo :
>   1 - Introdução e Conceito de Ciência
>   2 - O Método científico e um pouco mais sobre ciência
>   3 - A Ciência Espírita e a divulgação dos trabalhos científicos
>   4 - Tópicos de pesquisa multidisciplinar entre algumas Ciências e o Espiritismo - O método de análise por pares
>  5 - Contribuições da Matemática : Periódicos espíritas
>  6 - Física e Espiritismo I : propriedades da matéria - A diferença entre livros e artigos
>  7 - Física e Espiritismo II : energia e matéria. Referências científicas na pesquisa espírita
>  8 - Física e Espiritismo III : Análise dos Fenômenos Espíritas. Exemplos de pesquisas com valor científico
>  9 - Física e Espiritismo IV : Fenômenos espíritas: Clássicos ou quânticos?
>  10 - Física e Espiritismo V : Deus, Espírito e Função de onda
>  11 - Comprovação científica versus característica científica
>  12 - Física e Espiritismo : considerações finais
>  13 - O Espiritismo e a Universidade
>  14 - O que é um Projeto de Pesquisa ?
>  15 - Exemplo de Projeto de Pesquisa Espírita
>  16 - O Estudo e a orientação no trabalho de pesquisa espírita
>  17 - O Laboratório da Pesquisa Espírita
>  18 - Conclusões Finais

> Curso de Ciência e Espiritismo - texto completo em word

Artigos com co-autoria:

Alexandre Fontes da Fonseca; Ademir Xavier Jr.,
> Um Diálogo Fraterno sobre Ciência & Espiritismo

Alexandre Fontes da Fonseca; Alvaro Vannucci
> Embriões congelados: espíritos ligados por até 12 Anos

Alexandre Fontes da Fonseca; Antonio Cunha Leite Lacerda; CristianoTorchi
> Reflexões Críticas sobre o Perispírito e sua Influência na Formação e Manutenção do Corpo Físico

Alexandre Fontes da Fonseca; Leonardo Marmo Moreira
>    As Barreiras vibratórias e suas consequências para a programação reencarnatória
>    Reencarnação e suas evidências científicas: trabalhos acadêmicos de Erlendur Haraldsson e correlações doutrinárias



topo

 

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual