Amílcar Del Chiaro Filho

>    O Hábito de rotular pessoas

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Amílcar Del Chiaro Filho
>    O Hábito de rotular pessoas


"O nosso planeta é habitado por vários tipos de criaturas, e entre elas os seres humanos. Plantas e animais apenas vivem. Agem e reagem sobre o meio-ambiente, guiados apenas pelos instintos. Mas o homem existe e pode modificar a sua existência e atuar em seu meio, modificando-o. À medida que o homem evolui ele não apenas existe, mas transcende à própria existência.

A complexidade das estruturas psíquicas do homem faz com que ele reaja positiva ou negativamente diante dos estímulos externos, mediante o seu livre-arbítrio.

Dessas reações decorrem as demonstrações de força ou fraqueza, coragem ou covardia, fé ou descrença, amor ou ódio, altruísmo ou egoísmo, humildade ou orgulho.

Um dos hábitos enraizados profundamente nos homens é o de rotular, coisas, situações e pessoas. Rotula-se pessoas com dificuldades de raciocínio de retardadas. Rotula-se os deficientes físicos de incapacitados. Rotula-se ricos, pobres, bonitos, feios, bêbados, homossexuais, prostitutas, negros, heróis, bandidos e tantos rótulos que se torna impossível enumerá-los.

É ruim rotular porque esquecemos que por trás dos rótulos existem pessoas que amam, odeiam, choram, riem, possuem toda uma gama de sentimentos e qualidades próprias dos seres humanos.

Transpondo essa mesma situação para o movimento espírita vemos que não estamos livres do impulso de rotular.

Idéias divergentes são rotuladas de "movimentos paralelos". Infelizmente linhas paralelas não se encontram nunca. Os que se dedicam ao estudo da ciência espírita são classificados como científicos, e místicos ou religiosos são os que aceitam o espiritismo como uma religião. Os que preferem tê-lo como uma filosofia não religiosa, são denominadas "laicos".

Rotulamos de obsessores os espíritos que atuam maleficamente sobre as pessoas. Obsedados são os que sofrem esse assédio. Por trás do rótulo de obsessor identificamos o espírito maldoso, vingativo, esquecidos de que ele pode ter razões ponderáveis para agir desta maneira, e ainda não é capaz de perdoar. Ele pode odiar alguém e obsidiá-lo, mas pode ser que ame muitos outros. O obsedado, quando não é rotulado de pobre vítima, é classificado como caráter frágil, ou espírito endividado.

Não estamos justificando a existência de obsedados e obsessores, nem estamos iludidos a ponto de julgar que não existam espíritos maus, porém lembrando a todos que o rótulo serve para a classificar certas coisas, mas nem sempre refletem toda a realidade.

Felizmente o Espiritismo está acima de rótulos e tendências, teorias ou práticas, pois ele é a própria vida. É o amor que se faz presente, se materializa entre nós para nos iluminar.

Lembremo-nos que o rótulo é frio, estático, inclemente. Por isso temos que lutar contra a nossa tendência de tudo rotular, colocando mais amor e compreensão em nossos julgamentos. O mesmo amor e compreensão que desejamos para nós mesmos".

 

* * *

SOBRE O COLUNISTA

 

Amilcar Del Chiaro Filho, nasceu em Catalão/GO – em 16 de abril de 1935, sendo o sexto e último filho de Amílcar Del Chiaro e Maria Pimentel Barbosa, registrado em Jardinópolis/SP – em 1944, para ser internado no então Asilo Colônia Cocais, em Casa Branca/SP. Em 1936 seus pais mudaram-se para Araguari/MG. No início da década dos anos 40, duas das suas irmãs foram internadas em Cocais e 1944 foi a sua vez.

Ficou no Asilo Colônia até julho de 1948, sendo transferido, juntamente com todas as crianças do Asilo, para o Sanatório Padre Bento, em Gopoúva – Guarulhos/SP, ficando aos cuidados do extraordinário hansenologista Dr. Lauro de Souza Lima. Recebeu alta hospitalar em 1951 e foi morar em Tupaciguara/MG, voltando para São Paulo um ano depois. Trabalhou como metalúrgico alguns anos e por seqüelas da hanseníase teve que se afastar da profissão.

Algum tempo depois, foi trabalhar como auxiliar de enfermagem no antigo Sanatório Padre Bento.

Casou-se em 1958 com Leonil Maria Bucheroni Del Chiaro e como não tiveram filhos adotaram duas crianças, Carlos e Marcos Allan. Este último por problemas de anóxia no parto, teve o seu desenvolvimento mental retardado, desencarnando de um acidente anestésico aos 31 anos de idade.

Iniciou-se no Espiritismo em 1954, freqüentando o Centro Espírita Nova Era – de São Paulo. Em 1959 assumiu a presidência da Sociedade Espírita Discípulo do Evangelho, dentro do antigo Sanatório Padre Bento. Foi Presidente do Grupo de Estudos e Pesquisas Espíritas Herculano Pires em Guarulhos e foi muito requisitado para palestras.

Participou da instalação da União Municipal Espírita em Guarulhos, em 1976, ocupando a sua presidência, cargo que ocuparia novamente em várias gestões.

Tornou-se radialista em 1977, com a criação do programa Sol nas Almas, na Rádio Boa Nova, Emissora da Fundação Espírita André Luiz, trabalhou na produção e apresentação de inúmeros programas espíritas. Recebeu o Título de cidadão Guarulhense, outorgado por unanimidade pela Câmara Municipal de Guarulhos em 1982.

Não tem formação escolar, tendo estudado até a 4ª série do antigo Grupo Escolar. Foi articulista de vários periódicos Espíritas do Brasil, inclusive o Perseverança, de Araguari/MG.

Profícuo autor, produziu os seguintes livros:

Chão de Estrelas - Minas Editora
A Barca do Destino – Minas Editora
Quando o Amor Fala Mais Alto - Editora FEESP
Cantai Comigo a Luz da Eterna Aurora - Editora CEU
Tirando Dúvidas vol.1 - Mundo Maior Editora
Tirando Dúvidas vol.2 - Mundo Maior Editora
A Minha Paz Vos Dou - Mundo Maior Editora

Seu derradeiro livro foi o "Alma Vigilante", doado à USE. Uma maneira que ele encontrou para captação de recursos para o Congresso Espírita Estadual, a ser realizado em Guarulhos, no ano de 2007.

Depois de 71 anos de muita luta, no dia 30 de novembro de 2006, desencarnou em São Paulo.

 

 

 

Fonte: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/amilcar/o-habito-de-rotular.html

 

 

 

Leiam também de Amílcar Del Chiaro Filho,
seta dupla verde claro direita  A Criança é o futuro

seta dupla verde claro direita O Espírita e a Política
seta dupla verde claro direita Espiritismo e Sociedade
seta dupla verde claro direita A grande tarefa do Espiritismo
seta dupla verde claro direita O Hábito de rotular pessoas
seta dupla verde claro direita Manhã de 18 de abril

 

 

 



topo

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual