Espiritualidade e Sociedade



Carlos S. Alvarado, Fátima Regina Machado,
Wellington Zangari, Nancy L. Zingrone


>   Perspectivas históricas da influência da mediunidade na construção de idéias psicológicas e psiquiátricas

Artigos, teses e publicações

Compartilhar

Carlos S. Alvarado, Fátima Regina Machado, Wellington Zangari, Nancy L. Zingrone
>   Perspectivas históricas da influência da mediunidade na construção de idéias psicológicas e psiquiátricas



Alvarado, C.S. et al. / Rev. Psiq. Clín. 34, supl 1; 42-53, 2007

Carlos S. Alvarado
- Professor-assistente de Pesquisa em Medicina Psiquiátrica, Division of Perceptual Studies – University of Virginia (EUA).
Fátima Regina Machado
- Professora, Faculdade de Comunicação e Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
Wellington Zangari
- Pesquisador, Laboratório de Estudos em Psicologia Social da Religião do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.
Nancy L. Zingrone
- Professora-assistente de Pesquisa em Medicina Psiquiátrica, Division of Perceptual Studies – University of Virginia



Resumo


Contexto
: A psicologia e a psiquiatria têm sido, ao longo do tempo, influenciadas pelos fenômenos estudados pelos pesquisadores dessas áreas. Diversas idéias sobre a mente e suas patologias foram desenvolvidas no contexto dos estudos de histeria, de dupla e de múltiplas personalidades e dos fenômenos hipnóticos.

Objetivos: Neste estudo, propomos que a mediunidade tenha influenciado tanto a psicologia quanto a psiquiatria de diferentes modos. Os fenômenos mediúnicos, tais como os transes e as mensagens verbais ou escritas atribuídos a espíritos de mortos, contribuíram para o desenvolvimento de vários importantes conceitos durante o século XIX e daí por diante.

Métodos: Revisamos a literatura histórica da psiquiatria e da psicologia relacionada à mediunidade para identificar discussões sobre a mediunidade.

Resultados: A mediunidade foi usada para defender ampla variedade de idéias sobre a mente subconsciente por pesquisadores como William B. Carpenter, Frederic W. H. Myers e Joseph Grasset. Tanto Pierre Janet quanto Théodore Flournoy se serviram da mediunidade para ilustrar formas de dissociação. Da mesma forma, a psicopatologia foi relacionada de diferentes modos à prática mediúnica, como foi discutido por Jean-Martin Charcot, Pierre Janet e Gilbert Ballet.

Conclusões: Apesar de a mediunidade ser apenas um dos fatores que afetou a construção de conceitos como o de subconsciente, dissociação e psicopatologia, é necessário que sua influência seja mais reconhecida do que o é atualmente na historiografia da psicologia e da psiquiatria.

>  clique aqui para acessar o artigo completo em pdf


Fonte
: http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista

 



topo

 

 

 

Acessem os Artigos, teses e publicações: ordem pelo sobrenome dos autores :
- A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O
- P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - Allan Kardec
* lembrete - obras psicografadas entram pelo nome do autor espiritual